Foto de Guybrush Threepwood

24 Horas: o futuro da série

Hmm. Essa notícia me deu um certo medo. Dá a entender que esse papo de "reinvenção" da série será levado a níveis extremos... eles inclusive falam em um elenco novo com atores antigos interpretando OUTROS PAPÉIS. Será que muda tudo? Tipo o Jack Bauer passa a ser, digamos, um advogado, e ele tem 24 horas para colher todas as pistas para inocentar seu cliente? DEUSMELIVRE!

MSN wrote:

Kiefer Sutherland assina contrato para "24 Horas" até 2009
Por Nellie Andreeva

LOS ANGELES (Hollywood Reporter) - O relógio de "24 Horas" vai continuar a funcionar por mais duas temporadas. A renovação do contrato do thriller da Fox permitirá ao agente Jack Bauer continuar salvando os Estados Unidos durante a temporada 2008-2009, que será a oitava do seriado.
Kiefer Sutherland, que faz Jack Bauer, já assinou contrato para continuar com "24 Horas" até maio de 2009.
"Estamos recriando a série", disse seu produtor executivo Howard Gordon. "Vai ser um thriller em tempo real. É só o que sabemos."
A série ganhou muitos elogios em sua quinta temporada, coroada com cinco prêmios Emmy no ano passado, incluindo os de melhor seriado dramático e melhor ator (Sutherland).
Mas na temporada atual, a sexta, ela vem sendo criticada por fãs que consideram que perdeu parte de sua criatividade.
Gordon disse que os produtores já vinham discutindo a reinvenção da série há algum tempo.
Com a exceção de Kiefer Sutherland, "24 Horas" vai retornar com um elenco novo (embora alguns atores favoritos possam voltar em papéis diferentes) e uma localização nova, não em Los Angeles.
Além de "24 Horas", a Fox já tinha anunciado a renovação das séries "House", "Prison Break", "Bones" e "'Til Death", além de sua programação animada dominical.
E as novas séries que a rede anunciou recentemente para a próxima temporada incluem três comédias: "Back to You", estrelada por Kelsey Grammer e Patricia Heaton, "The Return of Jezebel James", de Amy Sherman-Palladino, criadora de "Gilmore Girls", e "The Rules of Starting Over", produzida pelos irmãos Farrelly.
Os novos dramas incluem "Canterbury's Law", com Julianna Margulies, o policial "K-Ville", ambientado em Nova Orleans, o drama de detetives "New Amsterdam" e a ficção científica "The Sarah Connor Chronicles", com tema semelhante a "O Exterminador do Futuro".

Fonte: MSN

Forums: 
Foto de Bennett

Steven Spielberg e Peter Jackson preparam trilogia Tintin

Steven Spielberg, Peter Jackson e mais um diretor, ainda sem nome, vão fazer três filmes em computação gráfica baseados em histórias do Tintin. Eu gostava muito dos quadrinhos quando eu era criança (ainda tenho a coleção completa), e tenho certeza que os filmes vão ficar bacanas.

Quote:
Jackson said WETA will stay true to Remi's original designs in bringing the cast of Tintin to life, but that the characters won't look cartoonish.

"Instead," Jackson said, "we're making them look photorealistic; the fibers of their clothing, the pores of their skin and each individual hair. They look exactly like real people — but real Herge people!"

Fonte

Forums: 
Foto de Guybrush Threepwood

Comprando um console da nova geração: um guia

Antes de escolher em definitivo qual seria o novo console de videogame que eu iria comprar, fiz uma intensa pesquisa durante alguns meses, li vários fórums e guias e acompanhei a experiência de várias pessoas, até concluir que eu queria pra mim um XBox 360. Contudo, decidi compartilhar com vocês o resultado da minha pesquisa em forma de guia, para ajudar na escolha alheia de um novo console.

Vale lembrar que nenhum console aqui é melhor do que o outro, são todos excelentes, porém com propósitos diferentes e para pessoas diferentes. Basta escolher o que mais combina com você e mandar bala...

XBox 360

A Microsoft parece que fez lição de casa direitinho no caso do seu novo console: soube lança-lo no momento certo (um ano antes dos outros, já ganhando público), teve uma excelente campanha de marketing (exceto no Japão, mas aí é um caso à parte e muito delicado), roubou várias franquias exclusivas das concorrentes e ainda teve a visão de mercado de expandir o lançamento do produto para países que não viam um novo console lançado em suas terras há dez anos ou mais (nosso caso, cujo último videogame oficial havia sido o Nintendo 64).

Aliais, isso merece um parágrafo a parte: muito louvável a atitude da MS em lançar o 360 por aqui. Claro que ela não fez isso por piedade dos jogadores, claro que o objetivo dela é monopolizar o mercado por aqui, ganhar dinheiro, esmagar a pirataria e o mercado paralelo de consoles. Mas pelo menos eles ACREDITAM no país, e isso já a faz ganhar vários pontos sobre sua principal concorrente, a Sony (pelo menos a SCE, sua divisão de games, que parece que nem sabe que nós existimos). A Nintendo fez uma coisa até parecida (autorizou uma empresa brasileira a importar o console oficialmente), mas não é exatamente a mesma coisa. A MS está dando total apoio ao console, com garantia, suporte técnico, assistências, jogos localizados (Viva Piñata foi lançado com dublagem em português) e com preços razoáveis para os jogos (os de catálogo estão custando R$ 99,99). Infelizmente, o Brasil tem uma política tributária pra lá de bizarra e surreal, e um produto com o XBox 360 acaba custando mais de três vezes mais do que nos EUA (lá sai por US$ 399,00, aqui sai por aproxidamente US$ 1.500,00, ou seja, R$ 2.999,00). Pelo menos eles lançaram um pacote interessante, com alguns extras que não tem no pacote gringo, como 3 jogos, um faceplate exclusivo (só existe no Brasil) e um controle remoto para DVD. Só esses bônus já custariam quase US$ 300,00, então vá lá.

Existe uma campanha da ABRAGAMES para reduzir ou zerar a carga tributária para o setor de games (a exemplo do que aconteceu no México), pois nada justifica um imposto que foi criado para proteger os produtos produzidos em território nacional serem aplicados sobre um tipo de bem que não é nem nunca foi fabricado por aqui.

De qualquer forma, voltando ao console:

O 360 é um console bem robusto, apesar de não ter o poder de processamento bruto do PS3, ele compensa como tendo um eficiência operacional muito maior. Ou seja, é MUITO mais fácil se programar no 360 e aproveitar toda sua capacidade do que no concorrente. Fora isso, a GPU dele é em vários pontos superior a da Sony. No fim das contas, o PS3 leva vantagem no hardware em geral, mas o 360 leva vantagem em software e dev kits. Acho que dificilmente vai existir um game do Play 3 que tenha uma superioridade gráfica gritante, vai ser mais ou menos como o XBox para o PS2 na geração anterior: coisa muito sutil (e ainda assim o PS2 foi o console preferido dos gamers). Na grande maioria das vezes, creio que eles serão praticamente idênticos em jogos multi-plataforma, e terão a capacidade máxima de cada console aproveitada somente em títulos exclusivos, que justamente por serem exclusivos, vai impossibilitá-los de comparação. Portanto, toda e qualquer discussão de "quem produz gráficos melhores" será sempre uma tremenda tolice.

Temos ainda no 360 a presença da Live, que indiscutivelmente é o serviço online mais completo e funcional dos três, atualmente. Não se resume a facilidade de se conectar e jogar com amigos, mas todo o processo é muito dinâmico e bastante intutivo, além de possuir extras interessantíssimos, como rankings, destravamento de conquistas, clãs etc. Isso, e também o Marketplace, onde pode-se baixar de graça demos e trailers, comprar filmes ou jogos completos para jogar na Live Arcade. A Live Gold, inscrição que dá direito à tudo, é paga, mas nem é tão cara (pode custar até US$ 4.00 por mês, depende do pacote escolhido).

Outra coisa do 360 é que ele saiu na frente nas novas franquias, lançado jogos exclusivos interessantíssimos e exclusivos, como Gears of War, BioShock, Dead Rising, Saints Row, Crackdown entre vários outros, e ainda robou várias franquias da Sony, como Devil May Cry, Grand Theft Auto, Virtua Fighter, Final Fantasy e o outrora exclusivo de PS3 Assassin's Creed.

Mas como nem tudo são flores, o 360 tem alguns problemas também.

Primeiro, os famosos problemas de hardware: as três luzes vermelhas a.k.a 3RL a.k.a. Red Ring of Death, que aparemente afetou muita gente. A Microsoft diz que não, diz que os defeitos estão dentro dos padrões esperados por indústrias de eletrônicos, mas parece que é mais sério que isso. De qualquer forma, várias pessoas relatam que tem o console há muito tempo e não aconteceu nada, bastou deixar o bichinho num local ventilado (aparentemente é o superaquecimento que derrete algumas soldas das memórias e deixa elas soltas). Quem comprar o kit brasileiro e não destravar (meu caso), fica resguardado pela garantia. Caso contrário, é questão de sorte, mas é só saber usar o console direito (e se o problema for mesmo solda, nada muito complicado de se consertar depois).

Outra desvantagem do 360 é que ele é o único que não tem controle com sensor de movimento (apesar de que no caso do PS3 eu acho que é só papagaida da Sony), mas tem o rumble, que a Sony tirou. Eu não sei até que ponto é essencial esse sensor num console com a proposta desse e do Play 3, que é uma proposta diferente do Wii. Não sei se gostaria de ficar saculejando um controle desse ao jogar Oblivion. Acho que depende da pessoa, pra uns pode ser uma grande desvantagem, pra outros não fara a menor diferença.

Vale lembrar que o 360 é também o console mais fácil de destravar, podendo ser feito até em casa mesmo por que tem uma certa noção de hardware.

Prós:

  • já tem várias franquias e games excelentes lançados, muito mais que os outros consoles (que, claro, ainda são muito recentes para isso).
  • muito fácil de destravar
  • lançado oficialmente no Brasil
  • melhor serviço online

Contras:

  • o fantasma das três luzes vermelhas
  • controle não tem sensor de movimento

Playstation 3

O gigante da Sony, o PS3 é uma máquina poderosíssima. Em termos de processamento bruto, não tem igual. Contudo, o Cell, apesar de ser um tremendo processador, não é 100% orientado a jogos, como é o caso do Xenon do 360, mas um processador de uso geral, o que faz do PS3 interessante como estação multimidia, mas desvia ele um pouco da proposta de ser somente um videogame. Isso, e o fato de ser uma tecnologia bem mais difícil de programar, impedem, pelo menos neste momento, de ter todo seu poderio aproveitado pelos jogos.

Claro que ainda assim já dá pra dar um tremendo poder de fogo, e mesmos os primeiros jogos já mostraram do que foram capazes. Resistance: Fall of Men é considerado um dos jogos mais bonitos dessa geração atual.

O diferencial mais forte do PS3 para os outros consoles, contudo, e fato dele ser um player de Blu-ray também. Players de BD são muito caros, os modelos mais baratos custam na faixa dos setecentos dólares, e você ter um por US$ 600,00 e ainda poder jogar nele é uma vantagem incrível. Lógico, isso pra quem está procurando um player de BD também, mesmo por que vale lembrar que os filmes lançados nos formatos da nova geração (tanto o BD quanto o HD-DVD) só podem ser aproveitados numa TV de alta definição, se você usar ele numa TV convencional vai parecer exatamente a mesma coisa que um DVD comum.

O disco BD também dá mais possibilidades para jogos, devido a sua capacidade de armazenamento superior - o Wii e o 360 ficam mais limitados neste aspecto.

Outra coisa do PS3 é que o controle dele tem sensor de movimento, embora muito mais limitado que o do Wii, e eu particularmente questiono sua necessidade num console desse tipo. Acho que o rumble é muito mais essencial num console com esse foco. De qualquer forma, pode até ter uns usos interessantes, dependendo da criatividade do developer, e como disse antes, é uma coisa que vai simplesmente da preferencia da pessoa.

Além disso, apesar de ter perdidos algumas franquias pra concorrencia, a Sony ainda é dona de algumas das melhores (e também da melhor, na minha opinião) franquias da atualidade: Metal Gear Solid e God of War. Eu comprei meu PS2 só pra jogar o MGS3, e estive por muito tempo pensando em comprar um PS3 só por causa do MGS4 (e talvez ainda compre, um dia). É pra mim o jogo mais promissor dessa geração, e um forte candidato a melhor jogo de todos os tempos.

O Play 3 também tem um serviço online razoável, que está melhorando aos poucos, graças aos patches e updates de firmware.

Prós:

  • o mais poderoso
  • drive de Blu-ray
  • Metal Gear Solid 4
  • controle com sensor de movimento (mais limitado que o do Wii)

Contras:

  • não tem destravamento ainda
  • é caro
  • é dificil de programar

Wii

O Wii é um caso muito a parte. Não compete com os outros dois pela supremacia do hardware, e tenta fazer uma coisa totalmente diferente. É a tecnologia mais inovadora para games desde que... desde... bem, desde que eles existem, eu diria. Quem já jogou, fala que não existe coisa mais divertida. Eu ainda não tive a oportunidade de testar, mas acredito. Tem a mesma capacidade de processamento que um console da geração anterior, mas quem se importa? Não é esse o propósito do Wii, e sim revolucionar a maneira de se jogar.

O sensor de movimento dispensa apresentações, todo mundo já sabe como funciona e é o grande diferencial do Wii. O wiimote pode se transformar em qualquer coisa, desde uma simples vara-de-pescar até um sabre-de-luz, e todo mundo fala que funciona que é uma beleza. Dá uma nova dimensão aos jogos, apesar de que deve ser meio cansativo varar madrugadas jogando assim.

Outro diferencial do Wii é o Virtual Console, que permite o download de vários jogos clássicos de NES, SNES, Mega-drive e outros para o console (o o XBox tem uma coisa parecida com o Live Arcade, mas não tão completo e nostálgico), e existe um controle formato clássico só pra isso. Prato cheio para os saudosista de plantão, como eu.

A Nintendo parece que oferece o serviço online menos completo das três, mas isso não importa, pois é legal do Wii é o multiplayer domético mesmo, tipo chame seus amigos e venha curtir no Wii Sports.

O Wii também foi lançado no Brasil através de uma parceria entre a Nintendo e uma empresa daqui, que importa o console direto. Não é como o lançamento do 360, mas já é alguma coisa.

O destravamento pra ele também já existe, e não é uma solução tão cara. Não dá pra fazer em casa como o 360, mas já existem várias assistências que fazem por aí pra você, e funciona tranquilamente.

Prós:

  • uma nova experiência em termos de jogabilidade
  • parece ser o mais divertido do três
  • jogos clássicos no Virtual Console
  • pode ser destravado

Contras:

  • tem o mesmo poder de processamento dos consoles da geração anterior

Aguardem, possivelmente na semana que vem (só depende do Submarino), meu review definitivo sobre o 360.

Forums: 
Foto de Bennett

Lost termina em 2010. Apenas mais três temporadas, com 16 episódios cada.

Mudaram de "mais duas temporadas" para "mais três temporadas de 16 episódios cada". Eu preferia mais duas temporadas normais, mas tudo bem. Pelo menos a coisa tem um final definitivo agora.

USA Today wrote:
The end is in sight for ABC's acclaimed island mystery Lost, but fans will have to wait until 2010 for all the answers. In a highly unusual move, the network announces plans today to end the show after three more shortened seasons of 16 episodes each. The episodes will air consecutively, repeat-free, from February to May.

Fonte

O mais interessante é que o Lindelof admite abertamente que eles enfiam uns episódios 100% enrolação entre os episódios relevantes:

USA Today wrote:
Shorter seasons will allow plots to be more tightly constructed and "will make it a real event," Lindelof says. "We won't have to do episodes where people are standing on the beach looking at the water and wondering what's going to happen next."

 

Forums: 
Foto de Bennett

Digg, HD-DVD, AACS, DMCA e a revolta das massas

Revolução no Digg! Neste exato momento, 5 minutos para as 3 horas da manhã dia 02 de maio de 2007, o site Digg acabou de sair do ar. Poucos minutos antes, só dava um assunto na primeira página: 09 F9 11 02 9D 74 E3 5B D8 41 56 C5 63 56 88 C0.

Esse conjunto de números e letras é uma chave de criptografia utilizada no sistema de DRM do HD-DVD, o AACS. Por pressão industrial, posts e links contendo a chave foram removidos silenciosamente do Digg, e as contas dos usuários que os haviam postado banidas. Assim que a comunidade ficou sabendo disso, rebelou-se e TODOS os links da primeira página do Digg passaram a ser sobre a chave. Continham ou a própria chave, ou links para ela, em diversos veículos, como músicas e imagens. Uma busca Google pela chave (com e sem hífens) dá uma idéia do estrago. A chave já está, é claro, na página de abertura dos nossos suecos favoritos. E até em nome de domínio:

http://09-f9-11-02-9d-74-e3-5b-d8-41-56-c5-63-56-88-c0.com/.

E, é claro, é sempre possível expressar a chave em binário. E escondê-la em lugares inusitados. Repete-se a história do DeCSS, só que em maior intensidade. Na época dos problemas envolvendo o DeCSS, camisetas com o código do programa foram impressas, e também houve a célebre conversão do código em um número primo, o "primo ilegal".

Trata-se de uma manifestação bastante relevante de desobediência civil, que demonstra bem como tem bastante gente insatisfeita com os abusos cometidos em nome da idéia já tão frágil de "propriedade" intelectual. É claro que a chave em si não é objeto de qualquer direito de propriedade intelectual, mas como ela pode ser utilizada para violar uma medida técnica de proteção, cai na rede do DMCA, e a MPAA (via AACS Licensing Authority) tem mandado notificações alucinadamente na tentativa de tirá-la da Internet. Mas é aquela história...o gato saiu da sacola, o gênio saiu da lâmpada etc.

Enfim, galera...se bobear, 09 F9 11 02 9D 74 E3 5B D8 41 56 C5 63 56 88 C0 é o novo 4 8 15 16 23 42. Acho que vou remover as letras e apostar na loto.

ATUALIZAÇÃO: Kevin Rose, fundador do Digg, desistiu de lutar e aderiu à campanha dos usuários:

Kevin Rose wrote:
So today was a difficult day for us. We had to decide whether to remove stories containing a single code based on a cease and desist declaration. We had to make a call, and in our desire to avoid a scenario where Digg would be interrupted or shut down, we decided to comply and remove the stories with the code.

But now, after seeing hundreds of stories and reading thousands of comments, you’ve made it clear. You’d rather see Digg go down fighting than bow down to a bigger company. We hear you, and effective immediately we won’t delete stories or comments containing the code and will deal with whatever the consequences might be.

If we lose, then what the hell, at least we died trying.

Acho que entre virar objeto de ódio e virar um mártir internético, Kevin Rose preferiu a última opção. Ele corre o risco de perder muita, muita grana. Mas ganhou meu respeito, e o de muita gente.

 

Forums: 
Foto de quase nada

Hannibal Rising... AFF

Sabe quando vc ta tocando punheta e, de repente, a alça da bermuda escorrega e bate no saco? Eu tive a mesma sensação vendo esse filme. Ele não é apenas ruim, é aquele ruim que dói no ventre, fere a alma e desanima. Não sei nem por onde começar, é muito erro junto, muita desgraça reunida, eu poderia escrever páginas sobre a ruindade desse filme.

Primeiramente, o ator principal deveria pedir desculpas e depois se aposentar, mas isso seria muito pouco, teria um efeito ex nunc, a merda já foi feita, na verdade ele deveria sofrer pelo que fez. Ele se parece com o Didi Mocó mais jovem, as caretas dele imitando o sadismo do Antony Hopkins me fizeram rir, mas rir com vontade de chorar, sem falar na entonação de voz, parecia que estava imitando o Cid Moreira. Outra coisa estranha é o buraco que ele tem na bochecha, sei lá. A história não é tão horrorosa, ficaria interessante em mãos mais habilidosas, é um filme de vingança normalzinho, mas dentro da mitologia Hannibal, chega a ser escroto.

A trilha sonora parece os gemidos de uma adolescente com diarréia, sussurrando no banheiro durante uma caganeira apoteótica, sem falar naquela maldita música xexena russa (da Misha) que cantam durante todo o filme (inclusive no fim, pra constranger de forma plena, pois filme ruim tbm tem que cagar na saída.).

Outra coisa que ficou ridícula, mas isso mais por culpa do T. Harris, foi explicar a maldade do Hanibal da forma mais cretina e sem vergonha possível. No começo do filme, vemos um Hannibal pequetoto, vivendo alegre e feliz com seus pais e sua graciosa irmã Misha (que mais parece um filhote de preá de tão feia) quando, de repente, a guerra explode, seus pais morrem e eles ficam sozinhos no casarão. Pra piorar, chegam uns malvadões pra apavorar, então o inverno piora e eles ficam sem o que comer... resultado: comem a irmã do hannibal! HAHAHAH! Ri tanto que nem ri, pois ali estava a destruição de um ícone do cinema. Depois disso o filme meio que começa, o Hannibal cresce, se amiga com uma japa, vira médico e vai em busca de vingança.

Essa explicação para o canibalismo foi doentia, o Hannibal não canibaliza por motivos doutrinários ou punitivos, mas pq ele gosta! Ele não é um injustiçado, ninguem vai sentir pena ou entender o animus do personagem depois de uma infância perturbadora, se o cara que escreveu o livro acha isso, ele é um burro.

Nota 1,96
Nota de breguice 10 (todas as cenas que remetem aos outros filmes são medonhas, a cena que ele usa a máscara de samurai [que lembra a máscara do silencio dos inocentes] me deu vontade de comer a própria língua, vendo por esse lado até que o filme é bom, pois ele faz vc querer virar um canibal de si próprio.).
Nota chuck: 3 (tem uma ceninha de guerra meia boca e umas violencias pra chocar tiozão [daquelas estilo Jason anos 80, daquelas que teu pai vê e diz "Nossa Astolfo, que filme pesado"], mas nada que melhore o filme, muito pelo contrário, tudo na base do CGI safado )
Nota punha: 1 (tem uma japa com cara de suvaco usando roupão. Eles deveriam aproveitar a censura e botar umas sacanagens, uns cameltoe e etc, pelo menos isso faria eu alugar essa desgraça pra dar um closão.).

Forums: 
Foto de Ray J

Simpsons parodia American Idol

Humor: Simpsons faz paródia de American Idol

Da Redação

Já imaginou o rabugento jurado de American Idol Simon Cowell tentando participar do reality show, e sendo julgado por Homer Simpson?

Pois é, no mundo dos Simpsons tudo pode acontecer. No programa exibido nesta semana nos Estados Unidos, uma paródia da atração feita pelos desenhistas da família de Springfield fez a alegria dos fãs.

Na animação, Simon está diante dos jurados em uma das eliminatórias do show e confessa estar bastante nervoso, antes de cantar Don't Cha, do grupo Pussycat Dolls.

Detalhe: foi o próprio jurado que dublou sua versão em desenho.

Marge tentou dar uma de Randy (com seus gestos de rapper), Lisa aplaudiu com o jeitinho animado de Paula, e Homer fez os comentários sarcásticos típicos de Simon.

- Em primeiro lugar, perca esse sotaque, Mary Poppins. Nós estamos nos Estados Unidos, disse Homer, de um jeito que só Simon saberia dizer.

Fonte: Estrelando

Forums: 
Foto de Bennett

Trent Reznor solta faixas no Pirate Bay

Três músicas de Year Zero foram lançadas por Reznor no Pirate Bay, segundo o Slyck. São arquivos multitrack em formato genérico, e Reznor planeja lançar o álbum inteiro assim. O objetivo parece ser incentivar remixes dos fãs, mas Reznor diz que é um prêmio "for stealing Year Zero". Ao remeter aos torrents, ele diz "via torrents you certainly know how to use". Faixas no formato Garage Band são fornecidas via download direto.

Para quem se interessar, eis a página oficial do NIN com os links para o Pirate Bay.

Enfim, com Jack Valenti morrendo e um músico mainstream linkando para o Pirate Bay, não foi uma má semana. 

 

Forums: 
Foto de Charllie

Morre Jack Valenti...

Mais informações aqui (com relatos cheio de amor e saudades).

Forums: 
Foto de quase nada

Omelete já viu Homem Aranha 3.... xiiiiiiiii....

Da Frigideira: Homem-Aranha 3

Nossas primeiras impressões sobre o aguardado novo filme do aracnídeo
20/04/2007

Érico Borgo

Com sessão de Homem-Aranha não se brinca. Hoje cedo a Cozinha madrugou (bom... eu madruguei, o Forlani chegou calmamente no momento em que os créditos iniciais terminaram... e ainda tenho que guardar lugar pro sossegado!) e, preocupados com rumores de superlotação na cabine de impresa, preferimos garantir nosso lugarzinho, atravessando São Paulo para não correr o risco de perder o começo de Homem-Aranha 3. Exagero. Surpreendentemente, só havia outros dois ou três nerds paranóicos por lá. A lotação só veio uns 50 minutos mais tarde. O lado bom é que pudemos aguardar convenientemente sentados nos melhores lugares do cinema.

Passadas as duas horas e vinte minutos da aventura - apesar de longo, é o episódio mais curto da trilogia -, começa a correria novamente, pra chegar de volta ao escritório e escrever o Da Frigideira mais aguardado do ano. As regras dessa série de artigos você conhece: escrever o mais rápido possível e sem muita análise, respeitando apenas as sensações da sala de projeção.

E o sentimento deixado por Homem-Aranha 3 é de divisão. É um bom filme, mas inferior aos primeiros.

Saímos das sessões dos dois filmes anteriores absolutamente eufóricos - ambos estão entre as cinco melhores adaptações de quadrinhos já feitas e são exemplos brilhantes de como deve ser um filme de ação. Desta aqui... bom... a euforia simplesmente não existiu.

Não que trate-se de um filme ruim - longe, muito longe, disso -, o encerramento da (primeira?) trilogia do Homem-Aranha segue milhas à frente da grande maioria das adaptações e filmes de ação recentes. Mas o roteiro, pela primeira vez, deixa a desejar. Sem explicar demais (isso será assunto para a nossa crítica), desta vez parece que Alvin Sargent (que trabalhou no texto do segundo filme) e os irmãos Sam e Ivan Raimi apostaram suas fichas no "acaso conveniente" como força da história. A idéia, que já foi utilizada exaustivamente nos primeiros filmes (por que as coisas sempre acontecem ao redor do Aranha ou seus entes queridos?), funciona uma, duas vezes, mas lá pela quinta coincidência começa a ficar um gosto ruim na boca.

Felizmente, Venom e Homem-Areia, os dois novos super-vilões do universo aracnídeo no cinema, estão lá para salvar a pátria e não devem nada aos seus antecessores. Design perfeito e pancadarias sensacionais garantidas pelos malfeitores fazem-nos esquecer das faltas do roteiro. Tem também o Novo Duende, versão radical do inimigo do primeiro filme, mas esse não traz novidades, apenas um esperado elemento de continuidade.

Já o elemento que supera os anteriores é a comédia. Lembra do engraçadíssimo videoclipe de "Rain Drops Keep Falling On My Head" do segundo filme? Este tem um clássico de James Brown com direito a Peter Parker dançarino que é impagável. E J.Jonah Jameson está mais engraçado que nunca, agora com problemas de pressão alta, sem falar na terceira - e melhor! - participação de Bruce Campbell na série.

Pra completar, a ausência de ganchos óbvios para uma continuação - desmentindo informações recentes - parece uma opção dos cineastas para encerrar aqui uma fase completa na vida do Amigão da Vizinhança. Um novo filme, claro, é muito provável, mas sem amarras das aventuras anteriores dá pra criar ainda melhor e - esperamos - não depender tanto das supercoincidências para seguir com a saga do maior herói das telonas.

_______________________________________

Acho que bumbou. Pelo o que entendi, o filme é ruim, basta usar um pouco de hermenêutica. Vamos analisar algumas frases:

"apesar de longo, é o episódio mais curto da trilogia"
Traduzindo: É chato e sem conteúdo.

"o sentimento deixado por Homem-Aranha 3 é de divisão. É um bom filme, mas inferior aos primeiros."
Traduzindo: É ruim.

"aqui... bom... a euforia simplesmente não existiu."
Traduzindo: É Decepcionante.

"o encerramento da (primeira?) trilogia do Homem-Aranha"
Traduzindo: Mary Jane morre.

"A idéia, que já foi utilizada exaustivamente nos primeiros filmes (por que as coisas sempre acontecem ao redor do Aranha ou seus entes queridos?)"
Traduzindo: A Mary Jane morre *mesmo*.

"Já o elemento que supera os anteriores é a comédia. Lembra do engraçadíssimo videoclipe de 'Rain Drops Keep Falling On My Head' do segundo filme? Este tem um clássico de James Brown com direito a Peter Parker dançarino que é impagável."
Traduzindo: Provável 8 na nota de breguice.

"Pra completar, a ausência de ganchos óbvios para uma continuação - desmentindo informações recentes - parece uma opção dos cineastas para encerrar aqui uma fase completa na vida do Amigão da Vizinhança."
Traduzindo: Se depois dessa frase a Mary Jane não morrer, eu dou o toba.

Forums: 
Foto de quase nada

Cannes 2007

http://cinema.uol.com.br/ultnot/2007/04/19/ult32u16768.jhtm

Veteranos e novos talentos no 60º Festival de Cannes

PARIS, 19 abr (AFP) - Os americanos Quentin Tarantino e Gus Van Sant, o chinês Wong Kar Wai e o sérvio Emir Kusturica figuram entre os diretores que concorrerão à Palma de Ouro do 60º Festival de Cannes, de 16 a 27 de maio, anunciaram os organizadores nesta quinta-feira.

No total, 22 filmes estão na mostra oficial competitiva. Metade dos diretores participarão pela primeira vez no prestigioso festival francês e terão como concorrentes grandes cineastas, entre eles alguns já premiados com a Palma de Ouro, como Kusturica, Van Sant, Tarantino e os irmãos Joel e Ethan Coen.

O chinês Wong Kar Wai, presidente do festival no ano passado, terá a honra de apresentar o filme de abertura, "My Blueberry Night", que também concorre ao prêmio principal e conta com interpretações de Jude Law e da cantora americana Norah Jones, em sua estréia como atriz.

O russo Alexandre Sokurov também figura na seleção com sua obra mais recente, "Alexandra".

Tarantino, vencedor em 1994 com "Pulp Fiction", volta ao festival com "Death Proof" (Prova de Morte), uma das partes de "Grindhouse".

Kusturica, que já conquistou duas Palmas de Ouro, exibirá "Promise Me This".

Van Sant, que saiu aclamado do festival em 2003 com "Elefante", filme inspirado pelo massacre da escola Columbine, levará "Paranoid Park" a Cannes.

Joel e Ethan Coen, que este ano disputam com "No Country for Old Men", já foram premiados em Cannes com melhor direção por "O Homem que Não Estava Lá" (2001), "Fargo" (1996) e "Barton Fink-Delírios de Hollywood" (1991), que também levou a Palma de Ouro.

Vários jovens diretores figuram pela primeira vez na seleção, como a iraniana Marjane Satrapi, os franceses Christophe Honoré e Julian Schnabe, o alemão Fatih Akin, o sul-coreano Lee Chang-dong e o romeno Cristian Mungiu.

O único latino-americano presente na principal mostra de Cannes é o mexicano Carlos Reygadas, com o filme "Luz Silenciosa".

Os filmes "Calle Santa Fe", da chilena Carmen Castillo, e "El Baño del Papa", dos uruguaios Enrique Fernández e César Charlone, foram selecionadas para a segunda mostra oficial do Festival de Cannes, Un Certain Regard (Um Certo Olhar).

Interrogado sobre a escassa presença latino-americana nas mostras oficiais, o diretor artístico do festival, Thierry Frémaux, declarou que outros filmes do continente podem ser anunciados nos próximos dias.

Três diretores latino-americanos, o brasileiro Walter Salles, o mexicano Alejandro González Iñárritu e o chileno Raúl Ruiz, marcarão presença no filme coletivo produzido para celebrar os 60 anos do festival, que conta com a participação de 35 cineastas. Entre os grandes nomes da produção especial estão Roman Polanski, Lars Von Trier e Wim Wenders, entre outros.

"Para o aniversário, nós escolhemos uma mistura da herança com a modernidade, nomes conhecidos e sangue novo", disse Giles Jacob, presidente do festival, em uma entrevista coletiva.

O glamour do tapete vermelho estará garantido com as presenças de Brad Pitt, George Clooney, Julia Roberts, Catherine Zeta-Jones, Matt Damon, Al Pacino e Andy Garcia - todos aguardados para a pré-estréia de "Treze Homens e um Novo Segredo", de Steven Soderbergh, que será exibido fora de competição.

Outras estrelas presentes na Croisette serão o diretor Martin Scorsese, a atriz Jane Fonda, cujo pai Henry Fonda será homenageado, o vocalista do U2, Bono, e o ator mexicano Gael García Bernal, "embaixador" da mostra paralela Semana Internacional da Crítica.

Michael Moore, que ganhou a Palma de Ouro em 2004 com o documentário "Fahrenheit 9/11", retornará para exibir, fora de competição, "Sicko", sobre o sistema de saúde americano. O britânico Michael Winterbottom levará a Cannes "A Mighty Heart", sobre o assassinato do jornalista americano Daniel Pearl.

O júri desta edição será presidido pelo cineasta britânico Stephen Frears, diretor do recente "A Rainha". Entre os jurados estão as atrizes Maria de Medeiros e Maggie Cheung e o ator Michel Piccoli.

Forums: 
Foto de Admin

Feliz aniversário a todos!

Treze meses atrás o usuário de número 1 era criado no Joio. Após uma etapa de testes, esse mês completamos um ano de Joio, felizmente com mais sucessos do que fracassos.

Obrigado de coração a todos que contribuem com o site, seja lendo ou seja postando. Vocês são a alma desse humilde projeto, que acabou se tornando maior e melhor do que a expectativa mais otimista da época.

Feliz aniversário! 

Foto de Marcus

OldBoy da vida real?

Um blogueiro do New York Times divulgou a tese de um professor da universidade Virginia Tech, de que o autor do massacre de segunda feira, Cho Seung-Hui, se inspirou no filme OldBoy para cometer os assassinatos:

Mike Nizza wrote:
The inspiration for perhaps the most inexplicable image in the set that Cho Seung-Hui mailed to NBC news on Monday may be a movie from South Korea that won the Gran Prix prize at Cannes Film Festival in 2004.

He poses in the two images are similar, and the plot of the movie, "Oldboy", seems dark enough to merit at least some further study (...)

Virginia Tech professor, Paul Harrill, alerted us of the similarity between images in the hope that it would shed some light on what led Mr. Cho to kill 32 on Monday before turning the gun on himself.

No post tem algumas fotos comparativas. O assunto foi comentado também no post seguinte do blogueiro.

Bennet, criaste um monstro! Aposto que o Cho foi atingido pelo hype intergalático que você montou em torno do filme.

Forums: 
Foto de quase nada

Sunshine (novo filme do Danny Boyle)

O título é ridículo. Trata-se de uma ficção cientifica onde uma nave tem que explodir uma bomba para “reviver” o sol, a história parece simples, os personagens são simples, mas o diretor é foda. Segundo o IMDB, só estréia nos EUA em setembro (ocorreu o mesmo com o Children of Men, filme bretão que estreou antes no Brasil).

Assim como o Tarantino, o Danny Boyle é um dos diretores que não sabem fazer filmes ruins, no mínimo ficam interessantes. Até o Millions, um infantil, é superior aos demais (Guybruxe, vc gosta de Spy Kids???... aff).

Esse filme é sua primeira ficção, mas ficou excelente, lindíssima, climática, robótica e sephirotica, com temas introspectivos, mas com doses gigantes de diversão. É como se ele pegasse o Solarys, misturasse com o 2001 e metesse o clima de Aliens no meio. A trilha de seus filmes é outra unanimidade, ele gosta de música eletrônica e usa com sabedoria, não é como a Sofia Coppola (que meteu um Joy Division no Maria Antonieta).

Os efeitos estão acima da média, o objetivo do cineasta moderno é o fotorealismo sentimental. Alguns acham que um efeito bonito e fake superam um simples, realista e comovente, erro brutal.

Quem for fã de ficção cientifica não deve deixar de ver esse filme, mas tem que ser no cinema! Pois é uma obra semi-prima do gênero e merece ser visto no telão.

Nota 8,74
Bregometro 1 (não tem beijo na boca nem par romântico, isso já faz o filme menos brega que os demais)
Chuckometro 6 (é um filme lento, bastante parecido com o 28 Days, mas as cenas mais vigorosas são boas, tem uma de briga que não dá pra entender nada, mas seja lá o que tenha acontecido, doeu)
Punhometro 0 (no crew da nave só tem 2 mulheres [feias] que não mostram nem o ombro)

Forums: 
Foto de Bennett

EMI abandona DRM

Um marco na história da música online: EMI abandona DRM e vende repertório inteiro na loja iTunes sem travas digitais (não é exclusivamente via iTunes, mas começa com a loja da Apple). O preço subiu 30 centavos, mas a qualidade do arquivo também (de 128 para 256kbps). O DRM continua em algumas outras modalidades que não existiriam sem DRM (aluguéis, loja p2p e outros modelos de negócios idiotas). Para discos inteiros, o preço continua o mesmo de antes. Só não é primeiro de abril porque já é dia 2.

Quote:
EMI Music launches DRM-free superior sound quality downloads across its entire digital repertoire

EMI Group CEO Eric Nicoli today hosted a press conference at EMI's headquarters in London where he announced that EMI Music is launching DRM-free superior quality downloads across its entire digital repertoire and that Apple's iTunes Store will be the first online music store to sell EMI's new downloads. Nicoli was joined by Apple CEO Steve Jobs. The event also featured a musical performance by The Good, The Bad & The Queen.

On this page you can find an audio webcast of the press conference which will be available for live streaming at 1pm London time with on demand archived streaming and MP3 download available shortly afterwards, the press release and a copy of the presentation slides.

Press Release da EMI

Press Release da Apple

Forums: 
Foto de Ray J

Ouçam Metallica tocando Ennio Morricone

Está pra ser lançado um disco em homenagem ao mestre Ennio Morricone. Com artistas que vão desde Celine Dion até Mettalica, passando pela Brasileira Daniela Mercury, o projeto parece interessante.

Neste link você pode ouvir a versão do Mettalica para a clássica "The Ecstasy Of Gold", do filme Três Homens em Conflito (The good, the bad and the ugly)

Forums: 
Foto de Terenzi

Oscar 2007 - Os Vencedores

Este foi o Oscar mais chato de toda a história. Alguns oscars foram absurdamente exagerados como melhor filme para os Infiltrados, melhor canção para a Melissa Etheridge mas enfim. É o Oscar né. Espero que melhore ano que vem.

 

MELHOR FILME

"Os Infiltrados, produtor Graham King

MELHOR DIRETOR

Martin Scorsese, "Os Infiltrados"

MELHOR ATOR

Forest Whitaker, "O Último Rei da Escócia"

MELHOR ATRIZ

Helen Mirren, "A Rainha"

ATRIZ COADJUVANTE

Jennifer Hudson, "Dreamgirls"

ATOR COADJUVANTE

Alan Arkin, "Pequena Miss Sunshine"

ROTEIRO ADAPTADO

"Os Infiltrados", William Monahan

ROTEIRO ORIGINAL

"Pequena Miss Sunshine", Michael Arndt

DOCUMENTÁRIO

"Uma Verdade Inconveniente", diretor Davis Guggenheim, produtores Laurie David e Lawrence Bender.

FILME ESTRANGEIRO

"The Lives of Others" (Alemanha), Florian Henckel von Donnersmarck

LONGA DE ANIMAÇÃO

"Happy Feet -- O Pinguim", George Miller

TRILHA SONORA

"Babel", Gustavo Santaolalla

MELHOR CANçÃO ORIGINAL

"I Need to Wake Up", Melissa Etheridge (de "Uma Verdade Inconveniente"

CURTA DE ANIMAÇÃO

"The Danish Poet", Torill Kove

DIREÇÃO DE ARTE

"O Labirinto do Fauno", Eugenio Caballero

FOTOGRAFIA

"O Labirinto do Fauno", Guillermo Navarro

FIGURINO

"Maria Antonieta", Milena Canonero

DOCUMENTÁRIO EM CURTA-METRAGEM

"The Blood of Yingzhou District", Ruby Yang, Thomas Lennon

MONTAGEM

"Os Infiltrados", Thelma Schoonmaker

CURTA-METRAGEM

"West Bank Story", Ari Sandel

MAQUIAGEM

"O Labirinto do Fauno", David Marti e Montse Ribe

EDIÇÃO DE SOM

"Cartas de Iwo Jima", Alan Robert Murray e Bub Asman

MIXAGEM DE SOM

"Dreamgirls -- Em Busca de um Sonho", Michael Minkler, Bob Beemer e Willie Burton

EFEITOS VISUAIS

"Piratas do Caribe: O Baú da Morte", John Knoll, Hal Hickel, Charles Gibson, Allen Hall

Forums: 
Foto de quase nada

Cartas de Iwo Jima

Achei injusto esse concorrer no lugar do Flags, ambos são bons, mas o Flags é melhor, tem mais "sustancia", na dúvida deveriam indicar os dois, com certeza são melhores que Miss Sunshine (Aff). O grande problema dos filmes de guerra cabeçudos é que vc tem que ver com bom humor, pois haja saco, o primeiro tiro vem depois de 40 minutos e o final é cheio de poesia, outro exemplo de filme assim é aquele Além da Linha Vermelha (que deveria se chamar de "Além do Meu Saco").

É bem capaz do Eastwood ganhar outro Oscar, o Scorsese pode ficar na fila mais uma vez, o Iwo jima teve uma direção mais trabalhosa que Os Infiltrados, principalmente pq todo o elenco é japa, dirigir um japa é um trabalho árduo... Nesse ponto até o Babel ta na frente dos Infiltrados.

Sobre a atuação do Watanabe, não vi nada de mais, afinal, ele está apenas representando aquilo que está cansado de representar... um japones! Ai fica fácil, queria ver ele representando um baiano na guerra da caatinga ou um venezuelano na guerra dos cem anos, sei lá.

Nota: 8,02
Breguice: 4 (BANZAI! BANZAI! BANZAI!)
Chuckometro: 5 (Para Chuck Norris, Iwo Jima é Fernando de Noronha. Ele pegava ondas por lá.)
Punhometro: 0 (nem uma japinha sequer, o mais erótico que esse filme tem a oferecer é uma cena onde um soldado solta um peido)

Forums: 
Foto de Marcus

Curse of the Golden Flower

Vi o novo wuxia do Zhang Yimou ontem, num DVD-rip de ótima qualidade. E tem tudo a ver com o carnaval, dado o exagero nos figurinos (indicados ao Oscar) e direção de arte, no limite da paródia.

É o filme mais suntuoso que eu já vi sobre a China. Bate os outros dois filmes da trilogia e deixa O Último Imperador com cara de produção de pequeno orçamento (também foi filmado na Cidade Proibida). As cenas de batalha dos dois exércitos coloridos deixam Ran, do Kurosawa, a ver navios, e chegam mesmo a lembrar a grandiosidade do Senhor dos Anéis.

Essa escola de samba em forma de filme ganha nota dez em alegorias e adereços e em evolução, mas zero em samba enredo, harmonia, comissão de frente, etc.

É talvez o pior filme do Yimou, entre os que eu já vi (uns oito). Uma tentativa shakespeariana que naufragou. Não se entende direito os motivos dos integrantes da família imperial, os personagens são pobremente construídos, e a história é cheia de furos. Não dá pra sentir empatia por ninguém.

Já tinha sido lançada um outra superprodução do gênero ano passado, cujo nome não recordo, e que eu nem consegui ver até o final, de tanto xarope que era. O cinema chinês começa a seguir o modelo industrial norte-americano de produções mirabolantes e enredos vazios.

Esse tem poucas cenas de ação e lutas, mas o que salva é uma invasão espetacular de ninjas num palacete nas montanhas, à noite. De cair o queixo.

Forums: 
Foto de Bennett

Oscartorrents.com

Coisas que só o Pirate Bay faz para você: disponibilizar os filmes do próximo Oscar em um site-paródia especial.

Difícil não gostar desses caras, ainda mais quando eles decidem cutucar a onça com vara longa. O site também está patrocinando uma premiação alternativa: você assiste aos filmes, VOTA, e depois da "festa do Oscar", eles postam os resultados lado a lado, para que a gente saiba o que a comunidade torrent teria premiado. O objetivo é democratizar a maior premiação da indústria norte-americana, uma vez que a distribuição já se democratizou. Nada mais sensato!

Infelizmente alguns filmes ainda não estão lá, como Notes on a Scandal, que eu estou morrendo de vontade de ver.

Quote:
Once you've watched a film, you can vote on it -- but please, do watch before you vote! On Oscars night, we'll post your results right along with the 'official' ones. Of course this is the way it should be done now that movie distribution is almost free. Hollywoodland might not like it, but some people always have to be dragged kicking and screaming into the future.

Aos preocupados em serem processados, eles avisam:

Quote:
To those worried about downloading in case they get sued: by our calculations, your chances of getting nailed are way less than your chances of winning the lottery. Don't think twice about it.

É isso aí, Hollywood!

Forums: 

Páginas

Subscrever Joio RSS