Notícias Joio

'Frozen 2' continua vitorioso na bilheteria norte-americana; 'Playmobil' vai mal em semana de estreia

G1 - Cinema - 9 Dezembro, 2019 - 08:28
Animação segue na liderança pela terceira semana consecutiva, enquanto única estreia da semana nos cinemas dos EUA pode ficar no prejuízo. Trailer 2 de "Frozen 2" "Frozen 2" dominou a bilheteria pelo terceiro fim de semana consecutivo, com mais US$ 34,7 milhões (cerca de R$ 143,7 milhões) nos cinemas da América do Norte. Essa venda de ingressos, uma queda de 60% da arrecadação no feriado de Ação de Graças, leva seu total doméstico para US$ 337 milhões (cerca de R$ 1,3 bilhão). "Frozen 2" arrecadou US$ 130 milhões (R$ 538 milhões) no lançamento e mais US$ 123 milhões (R$ 509 milhões) no fim de semana seguinte, cimentando novos e altos padrões para as animações da Disney. É o terceiro filme deste ano, atrás de "Vidro", da Universal, e "Vingadores: Ultimato", da Disney, a liderar três fins de semana consecutivos. No exterior, "Frozen 2" continua a encantar os espectadores, aproximando-se da marca de US$ 1 bilhão na bilheteria global. Levou US$ 90 milhões (R$ 372 milhões) internacionalmente neste fim de semana, chegando a US$ 920 milhões (R$ 3,8 bilhões) globalmente. "Frozen 2" deve se juntar ao clube de um bilhão de dólares em breve e se tornar o sexto filme da Disney a entrar nesse seleto grupo. Diretores e produtor de 'Frozen 2' dizem que sentiram saudade dos personagens Outros números O único novo filme nos cinemas neste fim de semana foi "Playmobil", do STX, um desenho baseado no brinquedo europeu para crianças. Como "Frozen 2" continua seduzindo e levando à compra de ingressos e a empresa de brinquedos de plástico é relativamente pouco conhecida, em comparação a uma marca como o Lego (da qual a Warner Bros. conseguiu tirar dinheiro com uma sequência de filmes), "Playmobil" engasgou de maneira espetacular. A aventura de animação coletou apenas US$ 811 mil (R$ 3,3 milhões) em 2.337 cinemas, em um dos piores fins de semana de estreia de todos os tempos. A não ser que o filme ressoe bastante internacionalmente - onde arrecadou US$ 12,5 milhões (R$ 51,7 milhões) até agora - o filme de US$ 75 milhões (R$ 310 milhões) tende a dar um grande prejuízo aos co-financiadores Wild Bunch, Pathe, Dimitri Rassham e On Animation, baseada em Paris. Sorte para a STX que a empresa pagou apenas para distribuir o filme e não investiu financeiramente. Em um distante segundo lugar, está o policial "Entre Facas e Segredos", da Lionsgate e do diretor Ryan Johnson acrescentou mais US$ 14,5 milhões (R$ 60 milhões) em seu segundo fim de semana. O aclamado mistério - com Daniel Craig, Jamie Lee Curtis, Chris Evans e Don Johnson - arrecadou US$ 63,5 milhões (R$ 262,9 milhões) na América do Norte e fortes US$ 124 milhões (R$ 513 milhões) globalmente até agora. Filmes que já haviam estreado arredondaram a bilheteria. "Ford v Ferrari", da Disney-Fox, ficou em terceiro lugar, com US$ 6,58 milhões (R$ 27 milhões) em 3.746 cinemas. Após um mês na telona, o drama de corridas com Christian Bale e Matt Damon acumulou US$ 91 milhões (R$ 376 milhões) na bilheteria doméstica. "Queen and Slim", da Universal, ficou em quarto lugar, com US$ 6,53 milhões (R$ 27 milhões), levando a sua arrecadação na América do Norte a US$ 26,8 milhões (R$ 110 milhões). Em quinto lugar, "Um Lindo Dia Na Vizinhança" levou US$ 5,2 milhões (R$ 21,5 milhões) em seu terceiro fim de semana. O filme de Mister Rodgers com Tom Hanks gerou US$ 43,1 milhões (R$ 178,4 milhões) até agora.
Categorias: Notícias

Festival do Rio supera falta de verba e chega à 21ª edição com mais de 100 filmes; veja dicas

G1 - Cinema - 9 Dezembro, 2019 - 04:00

Organização só confirmou o evento em outubro, após obter mais de R$ 600 mil com 'vaquinha'. Estreia é nesta segunda-feira, no Odeon, com exibição de 'Adoráveis mulheres', de Greta Gerwig. G1 faz suas apostas para o Festival do Rio 2019 Foi por muito pouco. Graças ao corte de verbas de patrocínios – sobretudo do dinheiro vindo da Petrobras, tradicional patrocinador da mostra –, a edição 2019 do Festival do Rio esteve muito perto de não acontecer. A situação só foi revertida em outubro, graças aos R$ 627.846,00 conseguidos por meio de uma campanha de arrecadação coletiva feita na internet. Com a verba, o evento chega à 21ª edição nesta segunda-feira (9). A abertura, mais uma vez, será realizada no Cine Odeon, na Cinelândia, Centro, com a exibição de gala do filme "Adoráveis mulheres", segunda produção dirigida por Greta Gerwig ("Lady Bird - A hora de voar"), que pode receber indicações para o Oscar de 2020 e outras grandes premiações. Durante 11 dias e em 15 cinemas, o festival vai apresentar quase 100 títulos internacionais de nomes consagrados da sétima arte, como Terrence Mallick, Ken Loach, Clint Eastwood (que realiza mais um drama baseado numa história real, "O Caso Richard Jewell") entre muitos outros. (confira acima o as expectativas do G1 para o festival). "Sim, por muito pouco o festival não foi realizado este ano. Ainda captamos recursos por leis de incentivo, mas perdemos nossos três patrocinadores master: Petrobras, BNDES e a Prefeitura do Rio, que há três anos deixou de colaborar. Isso nos obrigou a buscar esses outros meios de financiamento. Diante da situação que enfrentamos, ficamos surpresos com a imensa onda de apoio de pessoas e empresas que colaboraram para que o festival acontecesse", explicou a diretora Ilda Santiago. "Adoráveis Mulheres", de Greta Gerwig, abre o Festival do Rio 2019 Divulgação A mostra Première Brasil trará 73 títulos do cinema nacional, entre obras de ficção e documentários. A obra vencedora levará o Troféu Redentor, concedido por voto popular. Treze filmes cujas entradas no circuito comercial são muito aguardadas formam a mostra "Expectativa 2019". O quadro principal do evento será formado por duas galas: "O escândalo", de Jay Roach, e "Jojo Rabbit", de Taika Waititi. As mostras "Midnight", "Midnight docs", "Geração", "Hors concours ficção", "Première Brasil: geração", "Panorama do cinema mundial" e "Première latina", esta com 12 produções feitas no continente, completam o festival. A dificuldade para a captação de verbas trouxe a primeira mudança notável para o cinéfilo que está acostumado ao evento - quase sempre realizado em outubro, o festival teve que mover sua realização para o último mês do ano. Em 2018, situação semelhante, embora um pouco menos aguda, também provocou atraso e promoveu uma redução do número de filmes da mostra - na ocasião, o evento carioca reaproveitou filmes utilizados pela Mostra de Cinema de São Paulo. Em setembro deste ano, a organização do festival chegou a anunciar que o festival não seria realizado. "Está claro que o cenário mudou e que todos que trabalham com a produção de eventos culturais precisam buscar novos formatos de financiamento", finalizou a diretora Ilda Santiago. "Star Wars: A Ascensão Skywalker" também será exibido no Festival do Rio Divulgação A 'Força' está com o Festival do Rio Os fãs da saga interplanetária mais amada do universo também ganharão espaço no Festival do Rio deste ano. Está programada para o dia 18 de dezembro uma exibição de "Star Wars: A Ascensão Skywalker", o mais que aguardado episódio que vai concluir a nova trilogia , composta por "Star Wars: O Despertar da Força" e "Star Wars: Os Últimos Jedi", que também serão exibidos na mostra. Prato cheio para quem curte as aventuras que acontecem numa galáxia muito distante. Quem também curte cultura nerd, vai aqui uma curiosidade: o ator Noah Schnapp, o Will da série "Stranger Things", da Netflix, estrela o filme "Abe", do brasileiro Fernando Grostein Andrade, que também será exibido no festival. O jovem ator vive um garoto metade judeu e metade muçulmano que se interessa por culinária e tem ninguém menos do que o cantor Seu Jorge como um chef que se torna uma espécie de mentor para ele. Carmem Maura estrela 'Veneza', de Falabella O filme faz parte da mostra Première Brasil: Hour Concours Longa Ficção, que conta com mais dez produções, como "Piedade", de Claudio Assis, com Fernanda Montenegro, Cauã Reymond e Matheus Natchergaele, e "Veneza", o segundo filme de Miguel Falabella como diretor. "Veneza" conta com a espanhola Carmem Maura, uma das musas de Pedro Almodóvar, como uma cafetina que tem o sonho de encontrar o único homem que amou. No elenco, há nomes como Eduardo Moscovis, Carol Castro, Danielle Winits, entre outros. A trilha sonora original é assinada pelo maestro Josimar Carneiro. Outro filme que está dando o que falar é "A Febre", de Maya Da-Rin, que ganhou recentemente o Festival de Locarno e coleciona diversos prêmios nacionais e internacionais. O filme conta a história de um indígena que trabalha como vigilante em um porto de cargas e vive na periferia de Manaus. Ele acaba sendo acometido de uma estranha febre e é perseguido por uma estranha criatura durante a noite. O clássico Aviso aos Navegantes, de Watson Macedo, primeiro filme restaurado pelo CPCB - Centro de Pesquisadores do Cinema Brasileiro tem uma sessão única na Cinemateca do MAM, que conta com painel sobre restauração após a exibição, que acontece no dia 17 de dezembro. Fernanda Montenegro e Irandhir Santos em cena de "Piedade", de Claudio Assis Divulgação Possíveis candidatos ao Oscar Além de "Adoráveis Mulheres", o Festival do Rio também vai exibir filmes que podem ser lembrados para indicações ao prêmio mais famoso do cinema, o Oscar. O duplamente premiado Tom Hanks pode levar mais uma estatueta para casa por sua interpretação em "Um Lindo Dia na Vizinhança", em que interpreta o famoso apresentador de programas infantis dos anos 1960, Fred Roberts. Outra produção que está sendo muito aguardada pelos cinéfilos é "O Farol", dirigido por Robert Eggers, o mesmo cineasta do cultuado terror "A Bruxa". O filme é estrelado pelo novo Batman do cinema, Robert Pattinson ("A Saga Crepúsculo") e Willem Dafoe ("Platoon", "Homem-Aranha"), cuja atuação está sendo muito elogiada pela crítica e pode render mais uma indicação para o ator. Mais uma vez, o jovem e polêmico diretor Xavier Dolan (de "Mommy" e "É Apenas o Fim do Mundo") marca presença no Festival do Rio com sua nova obra "Matthias e Maxine", em que dirige, atua, produz e assina o roteiro. O longa conta a história de dois amigos que descobrem que ter sentimentos que vão além da amizade. Este ano, as tradicionais sessões populares seguidas de conversas do público com realizadores e atores e atrizes dos filmes terão lugar no Centro Cultural Cine Odeon, na Cinemateca do MAM, na Reserva Cultural e nos Estações NET Rio e NET Gávea. O Festival do Rio, infelizmente, não deve contar com a presença de convidados vindos do exterior, devido ao baixo orçamento. Festival do Rio 2019 De 9 a 19 de dezembro Programação no site do evento ou na revista digital Em cartaz em 15 salas de cinema
Categorias: Notícias

Gal Gadot e Patty Jenkins lançam primeiro trailer de ‘Mulher-Maravilha 1984’ na CCXP

G1 - Cinema - 8 Dezembro, 2019 - 18:22

Vídeo mostra Diana e Steve Trevor lutando contra o vilão Max. 'É o maior filme em que já atuei', disse Gal Gadot durante participação na convenção em São Paulo. Trailer de 'Mulher-Maravilha 1984' A atriz Gal Gadot e a diretora Patty Jenkins apresentaram neste domingo (8) o primeiro trailer de “Mulher-Maravilha 1984” na Comic Con Experience, convenção de cultura pop em São Paulo. Assista acima. O vídeo mostra Diana (Gal) e Steve Trevor (Chris Pine) lutando contra o vilão Max (Pedro Pascal). A sequência da história da super-heroína leva a protagonista para o mundo moderno. “Escolhemos os anos 1980 porque são o pico da nossa civilização ocidental”, disse a cineasta. A atriz Gal Gadot em painel na CCXP, em São Paulo Divulgação “É um filme que inspira muitas mulheres e meninas, mas é para todo mundo. O maior em que eu já atuei”, afirmou a protagonista. O elenco também tem Kristen Wiig como Cheetah. O segundo filme da Mulher-Maravilha tem estreia prevista para junho de 2020. Lançado em 2017, "Mulher-Maravilha" arrecadou US$ 821,8 milhões no mundo todo e fez história no cinema de super-heróis ao contar com mulheres no papel principal e na direção. Painel de 'Mulher-Maravilha 1984' tem Gal Gadot e a diretora Patty Jenkins na CCXP, em São Paulo Divulgação
Categorias: Notícias

Painel de ‘Star wars’ na CCXP tem fila de 24 horas, tributo a Carrie Fisher, choro e cena inédita

G1 - Cinema - 7 Dezembro, 2019 - 18:10

Diretor J.J. Abrams e elenco com Daisy Ridley, Oscar Isaac e John Boyega participaram do evento em São Paulo neste sábado (7) Público do painel de 'Star wars' na CCXP, em São Paulo Divulgação O primeiro painel de “Star wars” em uma Comic Con Experience no Brasil fez muitos fãs chorarem com clipes da saga e imagens de Carrie Fisher, intérprete da princesa Leia, que morreu em 2016. "Todos sentimos a presença dela todos os dias no set", disse Oscar Isaac, durante a participação no evento em São Paulo, neste sábado (7). “Carrie não aprovaria que a recriássemos digitalmente”, disse o diretor J.J. Abrams para explicar por que usou imagens já gravadas pela atriz no nono episódio da franquia, “A ascensão Skywalker”. Oscar Isaac e John Boyega no painel de 'Star wars' na CCXP, em São Paulo Divulgação O novo filme é uma história de amizade, disse o diretor. “Pela primeira vez o grupo principal vai para uma missão junto, isso é muito importante.” Para Daisy Ridley, isso põe um ponto final na curiosidade sobre a origem e os pais de Rey. “Não entendo por que há tanto questionamento. A jornada de Rey quer dizer: você pode escolher sua família, a família dela são os amigos.” Daisy Ridley no painel de 'Star wars' na CCXP, em São Paulo Divulgação O elenco acabou se transformando em família também. “Me senti muito mais confortável nesse filme com a personagem. Nós nos amamos muito, são seis anos juntos, são minha família”, disse Daisy. A equipe mostrou uma cena inédita de perseguição ao trio de protagonistas. De acordo com o diretor, é uma cena do começo de “A ascensão Skywalker”. Mais de 24 horas de fila Para conseguir um lugar no auditório, fãs da saga passaram mais de 24 horas na fila pelos convites. Os amigos Weslley Bispo e Pamela Santos chegaram ao local às 16h desta sexta-feira (6). O painel estava marcado para 17h deste sábado. “Valeu muito a pena, assisto desde criança e me emocionei muitas vezes aqui”, contou Pamela. J. J. Abrams no painel de 'Star wars' na CCXP, em São Paulo Divulgação Os amigos Nayara Sevciuc e Rafael Canti viajaram de Curitiba só para ver a apresentação de “Star wars”. “Chegamos na fila às 17h. Foi difícil passar a noite no chão, mas a gente fez amizade com outros fãs e no final compensou o perrengue. Chorei do começo ao fim, ainda mais quando mostrou a Carrie Fisher”, disse Nayara. Felippe Talli se juntou a quatro amigos para enfrentar a noite no chão do estacionamento. “Foi difícil, um dos nossos amigos passou mal de frio, mas resistimos. O painel foi perfeito.”
Categorias: Notícias

Kevin Feige apresenta teaser de 'Eternos' e cenas de 'Viúva Negra' na CCXP 2019

G1 - Cinema - 7 Dezembro, 2019 - 17:12

Presidente da Marvel mostrou vídeos inéditos neste sábado (7). Kevin Feige durante painel da Marvel na CCXP, em São Paulo Divulgação Kevin Feige, diretor da Marvel Studios, apresentou um teaser do filme “Eternos” e cenas inéditas de “Viúva Negra” durante a CCXP 2019, neste sábado (7). O teaser de “Eternos” mostrou os heróis caracterizados e cenas de combates. O filme ainda está em gravação, segundo Feige. O elenco tem Angelina Jolie, Richard Madden, Kumail Nanjiani, Lauren Ridloff, Brian Tyree Henry, Salma Hayek, Lia McHugh e Don Lee, com direção de Chloé Zhao. Feige também apresentou duas cenas inéditas de “Viúva Negra”, filme solo da vingadora vivida por Scarlett Johansson. Nas cenas, a heroína interage com a família, formada pelos personagens de David Harbour, Rachel Weisz e Florence Pugh.
Categorias: Notícias

Ryan Reynolds leva tombo após queda de barreira de proteção na plateia da CCXP; veja vídeo

G1 - Cinema - 7 Dezembro, 2019 - 16:54

Pressão feita por fãs derrubou estrutura de madeira. Segundo organização do evento, ninguém se machucou. A queda de uma barreira de proteção na plateia de um auditório da Comic Con Experience, em São Paulo, derrubou o ator Ryan Reynolds, durante sua participação no evento neste sábado (7). Vídeos gravados por fãs mostram o ator canadense se aproximando do público e, em seguida, se desequilibrando por causa da queda da estrutura. Pessoas que estavam apoiadas na barreira também caíram. Initial plugin text Initial plugin text Reynolds e o público foram amparados por membros da equipe de segurança do evento. Em nota, a organização da CCXP disse que a pressão feita pelos fãs derrubou a barreira de contenção de madeira, que separa o público da passarela por onde passam os artistas convidados para entrevistas. Segundo o evento, ninguém se machucou e uma nova proteção foi colocada no local. A programação não sofreu alterações. 'Free guy' Reynolds foi à CCXP para divulgar "Free guy", novo longa da Disney. O primeiro trailer foi revelado no painel, que também teve a participação do ator Joe Kerry e do diretor Shawn Levy. Na conversa com o público, ele disse que a trama é um “De volta para o futuro” para a nova geração. “Foi um roteiro que nós amamos, com ação, comédia e aventura”, afirmou. Ryan Reynolds (centro), com Joe Keery (esq.) e Shawn Levy em painel de 'Free guy' na CCXP 2019, em São Paulo Divulgação
Categorias: Notícias

'Free guy' é 'De volta para o futuro' para esta geração, diz Ryan Reynolds na CCXP 2019

G1 - Cinema - 7 Dezembro, 2019 - 15:57

História conta nascimento de um super-herói. Equipe mostrou primeiro trailer no evento em São Paulo; assista. Trailer de 'Free guy' “Free guy”, novo longa da Disney, ganhou seu primeiro trailer durante a Comic Con Experience 2019, em São Paulo, neste sábado (7). Assista acima. O filme conta a história de uma caixa de banco que descobre ser um personagem de videogame. Para Ryan Reynolds, protagonista do longa, é um “De volta para o futuro” para a nova geração. “Foi um roteiro que nós amamos, com ação, comédia e aventura”, contou o ator, durante painel do filme na CCXP. Joe Keery (à esq.) e Ryan Reynolds em painel do filme 'Free guy' na CCXP, em São Paulo Divulgação Além do trailer, a equipe mostrou duas cenas do longa: Uma na realidade do jogo, quando o personagem de Ryan Reynolds descobre que estava vivendo em um videogame; Uma no mundo real, quando os peonagens de Joe Keery e Jodie Comer descobrem que o jogo deu certo. Apesar de ser um filme com dupla realidade, o foco é nos personagens reais e seu desenvolvimento, disse o diretor Shawn Levy. "É sobre uma pessoa tentando se dar bem em um mundo de cínicos.” Com Ryan Reynolds, Joe Keery, Taika Watiti e Jodie Comer no elenco, o diretor disse que muito do filme foi fruto de improviso. É uma longa especialmente para fãs de game. “Têm muitos easter eggs de videogame, além de streamers famosos”, destacou o diretor.
Categorias: Notícias

CCXP 2019 tem elenco de 'Star Wars', Kevin Feige e 'Frozen 2' neste sábado; veja destaques

G1 - Cinema - 7 Dezembro, 2019 - 06:00

Terceiro dia do evento de cultura terá painéis com John Boyega, Daisy Ridley, Oscar Isaac, J. J. Abrams, presidente dos estúdios Marvel e pré-estreia de animação da Disney. Terceiro dia da Comic Con Experience tem elenco de Star Wars e fãs dormindo na fila A Comic Con Experience 2019 faz um dia dedicado ao império da Disney neste sábado (7). De Pixar a "Star Wars" e Marvel, quase todas as áreas da gigante têm um painel especial neste terceiro dia de evento. A CCXP acontece até o domingo (8) no São Paulo Expo, mas todos os ingressos já estão esgotados. Veja fotos da CCXP 2019 Confira a programação completa do auditório principal O dia no auditório principal começa com uma pré-estreia de "Frozen 2", nova animação do estúdio, e uma apresentação de um dos diretores e um dos produtores. Depois de painéis sobre produções da Pixar e da Fox e até sobre um dos parques da empresa, o presidente dos estúdios Marvel, Kevin Feige, fala sobre o futuro da editora nos cinemas. Encerrando o dia, os atores Daisy Ridley, Oscar Isaac e John Boyega, o diretor J. J. Abrams e a presidente da Lucasfilm, Kathleen Kennedy, falam sobre "Star Wars: A ascensão Skywalker". Keri Russell, Oscar Isaac, Daisy Ridley e John Boyega em cena de 'Star Wars: A ascensão Skywalker' Divulgação/Lucasfilm Veja programação deste sábado no auditório Cinemark, o principal do evento: 10h - "Frozen 2" - Pré-estreia especial 12h - "Frozen 2" - De volta a Arendelle 12h30 - Pixar - "Dois Irmãos: Uma Jornada Fantástica" 13h30 - Disney Parks - Star Wars: Galaxy's Edge 14h15 - "Um Espião Animal" 15h - "Free Guy - Assumindo o Controle" - com Ryan Reynolds, Joe Kerry, Shawn Levy 16h - Marvel Studios - com Kevin Feige 17h - "Star Wars" - com Daisy Ridley, J.J. Abrams, John Boyega, Oscar Isaac, Kathleen Kennedy CCXP 2019 Quando: 5 a 8 de dezembro Horários: Sábado das 11h às 21h e domingo das 11h às 20h Onde: São Paulo Expo - Rodovia dos Imigrantes, km 1,5 - Água Funda, São Paulo Ingressos esgotados CCXP 2019: confira atalhos e destaques de painéis e estandes do evento
Categorias: Notícias

Por que esta década já mudou o cinema para sempre

G1 - Cinema - 6 Dezembro, 2019 - 20:51

Na primeira série da BBC Culture que revisa a década nas artes e na cultura, o jornalista Nicholas Barber relembra os principais momentos do cinema dos últimos 10 anos. Yalitza Aparicio ("Roma") Divulgação Costumava ser tão simples. Se você queria ver um filme, ia ao cinema e assistia aos atores dizendo suas falas em um cenário construído. Agora, porém, talvez o cenário não exista, exceto na tela de um computador. Talvez os atores também não existam. Quanto ao cinema, por que ir quando você pode assistir ao novo filme de grande orçamento de Hollywood na TV ou no telefone? A indústria cinematográfica foi mais abalada nos anos 2010 do que em quase qualquer outra década - e as ondas de choque não diminuíram. É difícil dizer se o cinema estará presente no final da década de 2020 e qual será seu formato, se houver. Mas há uma grande chance de que, até 2030, um avatar digital de Marlon Brando tenha estrelado como o Homem-Aranha em uma aventura de realidade virtual transmitida diretamente para um canto do seu cérebro pertencente à Netflix. Ainda assim, não vamos nos preocupar com a próxima década ainda. Vamos lembrar o quão revolucionária foi essa década com o nosso guia. Streaming vira mainstream Por mais difícil que seja de acreditar, a Netflix só lançou seu serviço de streaming em 2010 e não produziu um filme próprio até "Beasts of No Nation", em 2015. Desde então, Netflix e Amazon foram responsáveis por alguns dos melhores lançamentos da década. A Amazon estava por atrás de "Manchester à Beira-Mar", "Você Nunca Esteve Realmente Aqui" e a "Guerra Fria"; a Netflix pode reivindicar créditos por "Roma", "História de Um Casamento" e "O Irlandês". Assista ao novo trailer de "O Irlandês Nem todo mundo aprova: o Festival de Cinema de Cannes se recusa a deixar filmes entrarem na competição se eles não tiverem uma exibição adequada aos cinemas. E há aqueles de nós que ainda insistem em comprar DVDs e Blu-rays, mesmo que estejamos ficando sem espaço para guardá-los. Realidade virtual As imagens geradas por computador podem não ser novidade, mas a extensão em que estão sendo usadas certamente é. Somente no último ano, tivemos Samuel L Jackson velho em "Capitão Marvel", Arnold Schwarzenegger de idade avançada em "O Exterminador do Futuro: Destino Sombrio", Will Smith mais velho em "Projeto Gemini" e Robert De Niro idoso em "O Irlandês". Antes disso, tivemos Peter Cushing e Carrie Fisher digitais em "Rogue One: Uma História de Star Wars" e agora temos a perspectiva de um James Dean digital em um próximo drama da guerra do Vietnã. Will Smith em cena de "Projeto Gemini" Divulgação Outros avanços tecnológicos incluem o formato de altas taxas de quadros (mais quadros por segundo) na trilogia "O Hobbit" e "Projeto Gemini" e o desenvolvimento da realidade virtual, que agora tem sua própria vertente de competição no Festival de Cinema de Veneza. Se você tem medo de que todos vivamos agora na "Matrix", não se esqueça de que o filme "Tangerina", de Sean Baker, foi filmado com três iPhones, então a tecnologia do século 21 às vezes pode ser usada para capturar a realidade em vez de substituí-la. Diversidade Quando Ridley Scott estava lançando o épico bíblico de 2014 "Êxodo: Deuses e Reis", ele decidiu que as pessoas ideais para interpretar um grupo de egípcios antigos seriam Christian Bale, Joel Edgerton, Sigourney Weaver e Aaron Paul. Quando foi apontado que nenhum deles parecia especialmente egípcio, Scott argumentou à revista Variety: "Não posso montar um filme com esse orçamento e dizer que meu ator principal é Mohammad fulano de tal, simplesmente não vou ser financiado". E isso teria sido uma tragédia, não é? Imagine se "Êxodo: Deuses e Reis" não tivesse sido financiado! Scott estava seguindo a tradição hollywoodiana de embranquecimento, mas estava atrasado. A falta de diversidade nas indicações ao Oscar de 2015 levou a campanha #OscarsSoWhite; "Ghost in the Shell" foi condenado por escalar Scarlett Johansson em um papel que se originou no Japão e a Disney teve o cuidado de escolher atores de ascendência polinésia para darem voz a Moana no filme de mesmo nome. Enquanto isso, sucessos como "Creed - Nascido para Lutar", "Pantera Negra" e "Homem-Aranha" lembraram aos produtores que estrelas não caucasianas poderiam atrair o público em massa; "Moonlight - Sob a Luz do Luar" ganhou o Oscar de melhor filme, diretores mexicanos se tornaram presença comum no Oscar e racismo foi o tema de "Histórias Cruzadas, 12 Anos de Escravidão", "Django Livre", "Selma", "Green Book: O Guia", "Infiltrado na Klan", "Harriet" (ainda não lançado no Brasil) e muito mais. O Oscar não é mais tão branco agora. Elenco e equipe de 'Green Book' no palco para receber estatueta de Melhor Filme no Oscar 2019 Chris Pizzello/Invision/AP O futuro é feminino A queda do produtor Harvey Weinstein, acusado de assédio sexual, coincidiu com a ascensão dos movimentos Me Too e Time's Up. Mas a campanha que se seguiu não foi apenas para interromper o abuso sexual na indústria cinematográfica, mas também abordar disparidade salarial, subrepresentação feminina nos filmes e outros sinais insidiosos de sexismo institucional. Antes de as acusações de assédios em série de Weinstein serem expostas, já havia uma tendência por thrillers de ação com heroínas, como "Lucy", "Star Wars: O Despertar da Força" e "Jogos Vorazes". Posteriormente, festivais e estúdios prometeram promover o equilíbrio entre filmes dirigidos por homens e mulheres para perto de 50/50. As coisas estão mudando lentamente, mas estão mudando. A década da Disney Os historiadores do cinema se lembrarão dos anos 2010 como a década da Disney. A exploração do próprio catálogo por parte do estúdio tem sido incrivelmente inspiradora. Mês após mês, há live-action (ou, no caso de Rei Leão, uma espécie de live-action) remakes de seus desenhos animados clássicos, como Aladdin, Dumbo e Mogli. Mas o golpe de mestre da Disney foi comprar os direitos de outras empresas, principalmente as franquias Star Wars e Marvel. Cena de 'Frozen 2' Divulgação/Disney Como resultado, o filme de maior bilheteria em oito dos últimos 10 anos pertence à Disney, seja ele marcado como Marvel (quatro), Star Wars (dois), Pixar (um) ou um dos desenhos animados do estúdio ("Frozen"). A Disney também assumiu a 20th Century Fox e acaba de lançar seu próprio serviço de streaming. A década de 2020 também poderia ser a década da Disney. Super-heróis Para aqueles de nós que crescemos lendo histórias em quadrinhos de super-heróis no século 20, foi estranho nossos interesses de nichos se destacarem no entretenimento em massa. Agora parece que não passa um mês sem a Fox lançar um filme dos X-Men, a Sony lançar um filme do Homem-Aranha ou a Warner lançar um filme sobre Super-Homem, Batman, Mulher-Maravilha ou o Coringa. Trailer de 'Coringa' Mas nenhum deles consegue igualar o triunfo da Marvel Studios, cuja onda de sucessos de bilheteria varreu tudo à sua frente. Atreva-se a dizer que você não está impressionado com a qualidade, como fizeram Martin Scorsese e Ethan Hawke, e prepare-se para a reação dos vingadores das mídias sociais. Filmes que eram teoricamente de outros gêneros, como "Velozes e Furiosos: Hobbs & Shaw", "Doutor Sono" e "Frozen II" eram na verdade filmes de super-heróis disfarçados, e todos os estúdios tentavam copiar o modelo de 'universo compartilhado' da Marvel, no qual vários filmes separados acontecem na mesma realidade. Semana Pop #62 Filmes de terror Os anos 2000 foram uma década assustadoramente ruim para o terror. O sucesso de "Jogos Mortais" e suas sequências anuais levou a uma série de filmes de 'pornografia de tortura' que eram mais nojentos do que assustadores. E houve inúmeros esforços para vender personagens antigos para novos públicos, por exemplo, "Halloween: Ressurreição", "Freddy vs. Jason" e "Sexta-feira 13". Na década de 2010, por outro lado, o horror renasceu como um dos únicos gêneros em que dramas originais, com histórias provocantes e conceitos ousados podem ser feitos com um orçamento razoável e passam a ser abraçados por críticos e público. 5 clichês que ainda estão no 'pós-terror' Os exemplos principais são "Corra!" e "Nós", de Jordan Peele, "Hereditário" e "Midsommar - O Mal Não Espera a Noite", de Ari Aster, "A Bruxa e O Farol", de Robert Eggers, "Corrente do Mal", de David Robert Mitchell, "Um Lugar Silencioso", de John Krasinski, "Grave", de Julia Ducournau, e "O Babadook", de Jennifer Kent. Apenas não chame isso de 'horror elevado' - um termo esnobe que faz com que os fãs de terror busquem estacas de madeira afiadas. Comédia romântica Sempre que um filme como "Doentes de Amor" vai moderadamente bem, fãs de comédia romântica declaram que o gênero que amamos está de volta. Mas é hora de deixarmos esse relacionamento para trás e seguir adiante com nossas vidas. A rom-com (termo em inglês para comédias românticas) floresceu até a década de 1990, azedou nos anos 2000 e secou nos anos 2010. Resumidamente, foi substituída pela comédia de amigos e amigas, em que se apaixonar por aquele ou aquela importa menos do que sair com a galera, como "Missão Madrinha de Casamento". O fato é que a própria comédia caiu de posição na lista de prioridades de Hollywood. Em 2004, por exemplo, era possível ver "Todo Mundo Quase Morto", "Team America", "Meninas Malvadas", "Sideways- Entre Umas e Outras", "O Âncora: A Lenda de Ron Burgundy" e "Com a Bola Toda" - prova de que a indústria estava levando a sério ser engraçada. Diretores de "Vingadores: Ultimato", Joe Russo e Anthony Russo, participaram de uma conferência na Comic-Con San Diego 2019 Richard Shotwell/AP Mas a última década viu atores de comédia como Ben Stiller e Vince Vaughn se mudarem para o drama e diretores de comédia se voltando para a televisão, docudrama político e filmes de super-heróis. Em 2006, Anthony e Joe Russo fizeram "Dois é Bom, Três é Demais"; em 2016, eles fizeram "Capitão América: Guerra Civil". Isso não quer dizer que as comédias de Hollywood não sejam mais produzidas. Eles são. Mas as comédias mais notáveis dos últimos anos foram mais sombrias e esquisitas do que aquelas do tipo de Will Ferrell, e muitas vezes filmadas longe dos EUA. "A Lagosta", "Anomalisa", "Toni Erdmann" e "Parasita" farão você rir, mas será uma risada inquieta e nervosa. Mais estranho do que ficção Os dias do documentário de sucesso estão para trás. Houve alguns exemplos de não-ficção nos anos 2010 que atraíram público, como "O Ato de Matar" e "Procurando Sugar Man", mas nada comparável a filmes como "Tiros em Columbine" e "Super Size Me - A dieta do palhaço" na década anterior. Assista ao trailer de 'A grande aposta' A nova casa do documentário é o podcast, em que casos de assassinato são descritos em centenas de episódios. Quando Hollywood quer contar uma história verdadeira, opta por um tipo chamativo de docudrama, que não apenas dramatiza os eventos, mas acrescenta estatísticas, rompe com a ideia da quarta parede, acrescenta interjeições das pessoas reais de que trata a história. Isso significa que esses filmes são mais precisos do que os filmes tradicionais "inspirados em eventos reais"? A julgar por "A Grande Aposta", "Sem Dor, Sem Ganho", "Eu, Tonya", "American Animals", "Vice", "A Lavanderia e O Escândalo" (estreia prevista para 30 de janeiro de 2020 no Brasil), a resposta é não. Mas eles podem ser mais divertidos. O fim do mundo Os anos 2000 se encerram com um bando de filmes ambientados em terrenos pós-apocalípticos: "A Estrada", "Eu Sou a Lenda", "Zumbilândia". Também havia muitos deles nos anos 2010 - sendo o maior "Mad Max", mas muitos cineastas de ficção científica adotaram uma visão ainda mais sombria do futuro. Filmes como "Interestelar" e "Alien: Covenant" sugeriram que seria melhor abandonarmos completamente o planeta e começarmos de novo em um sistema solar distante ou em uma estação espacial de luxo. Ainda assim, talvez possamos ter algum conforto em saber que já passamos do tempo em que "De Volta Para O Futuro Parte II" e "Blade Runner" se passavam - outubro de 2015 e novembro de 2019, respectivamente. E nosso próprio mundo não está tão ruim quanto o daqueles filmes. Ou está?
Categorias: Notícias

'Turma da Mônica: Lições', 2º filme baseado nos quadrinhos, vai estrear em dezembro de 2020

G1 - Cinema - 6 Dezembro, 2019 - 17:24

Data foi anunciada em painel na Comic Con Experience, em São Paulo, nesta sexta-feira (6). Elenco de 'Turma da Mônica: Laços' participa de painel na CCXP 2019 para anunciar segundo filme baseado nos quadrinhos em 2020 Divulgação/I Hate Flash "Turma da Mônica: Lições", segundo filme com atores baseado nos quadrinhos de Mauricio de Sousa, vai estrear em 10 de dezembro de 2020. A data foi anunciada durante painel na Comic Con Experience, em São Paulo, nesta sexta-feira (6). 'Turma da Mônica: Laços' mantém espírito do gibi Por que demorou tanto pra virar filme? Em "Turma da Mônica – Laços", lançado em junho de 2019, Kevin Vechiatto é o Cebolinha; Gabriel Moreira é o Cascão; Giulia Barreto é a Mônica; e Laura Rauseo é a Magali. Também estão no elenco Monica Iozzi, como a Dona Luísa, Paulo Vilhena como seu Cebola, e Ravel Cabral como Homem do Saco. A direção é de Daniel Rezende ("Bingo: O rei das manhãs").
Categorias: Notícias

'As Golpistas', 'Brooklin: Sem Pai Nem Mãe' e 'O Juízo' são estreias da semana nos cinemas; VÍDEO

G1 - Cinema - 6 Dezembro, 2019 - 06:01
Jennifer Lopez é cotada ao Oscar por atuação em filme de strippers. 'Suspense sobrenatural' brasileiro destaca família Montenegro no elenco e na equipe. 'As Golpistas', 'Brooklin: Sem Pai Nem Mãe' e 'O Juízo' são estreias da semana nos cinemas Os brasileiros vão poder ver nos cinemas, a partir desta quinta-feira (5), o novo filme de Jennifer Lopez, que interpreta a líder de um grupo de golpistas strippers nos Estados Unidos, um suspense brasileiro com Fernanda Montenegro e um drama de detetive com elenco estrelado. Assista ao vídeo acima. 'As Golpistas' 'As Golpistas': Veja o trailer O filme com Jennifer Lopez conta uma trama inusitada em que um grupo de strippers arma um plano para se dar bem em cima de seus clientes ricos de Wall Street. O roteiro é inspirado em um caso real que aconteceu nos Estados Unidos anos atrás. Lopez é a líder do grupo e está sendo cotada ao Oscar pelo papel. Já a atriz Constance Wu é uma jovem stripper que precisa ajudar a avó. As cantoras Cardi B e Lizzo também estão no elenco. Leia resenha. 'Brooklin: Sem Pai Nem Mãe' Assista ao trailer de 'Brooklyn: Sem Pai Nem Mãe' Lionel Essrog (Edward Norton) é um detetive que sofre da síndrome de Tourrete em Nova York nos anos 1950. Depois que seu chefe e mentor Frank (Bruce Willis) morre, ele começa a investigar o que pode estar por trás do assassinato. Inspirado nos filmes de detetive dos anos 50, "Brooklin: Sem Pai Nem Mãe" é um projeto pessoal e o segundo longa que Edward Norton dirige. Alec Baldwin, Willem Dafoe e Gugu Mbatha-Raw completam o elenco estrelado. 'O Juízo' Assista ao trailer do filme 'O Juízo' O "suspense sobrenatural" conta a história de uma família que se muda para uma fazenda e começa a ser assombrada por fantasmas de escravos dos seus antepassados. Com Fernanda Montenegro, Carol Castro, Felipe Camargo e Criolo, o filme é dirigido por Andrucha Wadddington ("Sob Pressão" e "Chacrinha"). O longa também marca a estreia de Joaquim Torres, neto de Fernanda Montenegro no cinema, já o roteiro é de Fernanda Torres.
Categorias: Notícias

Arlequinas e Mulheres Maravilhas dominam CCXP e comemoram Gal Gadot e Margot Robbie no evento

G1 - Cinema - 6 Dezembro, 2019 - 06:00

Fãs foram à feira de cultura pop em São Paulo vestidas como as personagens, na abertura da Comic Con Experience 2019. Larissa Corregio, Stella Artuza e Jana Romaniw 7. Mariana Bof Thais Matos / G1 Gal Gadot e Margot Robbie são as principais convidadas da Comic Con Experience 2019, evento de cultura pop que acontece até domingo (8) em São Paulo. Fãs e cosplayers das personagens dominaram a feira este ano e comemoraram o protagonismo feminino em um evento nerd. “Acho super positivo que elas sejam as maiores estrelas da edição. Mostra cada vez a força da mulher”, celebrou a contadora Claudia Marroco. Claudia Marroco Thais Matos / G1 Para a advogada Kelly Simões, esse protagonismo demorou demais para acontecer na CCXP. “Antigamente o mundo nerd era muito masculino e hoje há muitas mulheres gamers, nas séries, nos cinemas. É fantástico se identificar com os convidados, já estava na hora.” Kelly Simões Thais Matos / G1 Para as fãs, agora não é mais possível voltar atrás. “Alcançamos representatividade e respeito e tem que continuar assim”, disse a dançarina Val Melchior. Val Melchior Thais Matos / G1 A confeiteira e produtora de eventos Larissa Corregio faz cosplay há 10 anos e comemorou não só a vinda de Margot Robbie, como a fase feminista de Arlequina. “Gosto muito de como está sendo representada nesse filme. Ela não é mais a sombra do Coringa, ela se basta.” A atriz Mariana Bof Irigonhi fez até a hiena que acompanha a Arlequina na história de “Aves de Rapina”. “É minha personagem preferida e o motivo de eu ter começado a fazer cosplay. Fico muito feliz que as duas sejam protagonistas, ainda mais com um enredo tão libertador para a Arlequina, já que nesse filme ela se livra do abuso do Coringa”. Mulher Maravilha x Arlequina Andressa Bigliardi Thais Matos / G1 Se houvesse uma luta entre Arlequina e Mulher Maravilha, quem venceria? A disputa foi acirrada, mas as fãs da CCXP apostaram na amazona como vencedora. A designer de moda Andressa Bigliardi veio de Santa Catarina para o evento e costurou sua fantasia, em homenagem à versão mais antiga da Mulher Maravilha. Em uma luta entre as duas, ela não tem dúvidas de quem levaria a melhor. “Diana é uma amazona, super poderosa. Arlequina é apenas humana.” A advogada Kelly Simões também aposta na Mulher Maravilha, mas acha que não seria problema para a Arlequina. “A mulher maravilha provavelmente ganharia, mas a Arlequina sairia dando risada.” A design gráfica Stella Artuza torceria para a Arlequina, mas acha que Mulher Maravilha se sairia melhor. Para alguns fãs, a amazona não venceria essa batalha. “A Arlequina já bateu até no Super-homem, ela é forte e ousada”, defendeu Val Melchior. Mariana Bof também aposta na Arlequina “Ela é muito sagaz e consegue identificar as fraquezas do adversário.” Primeiro dia da Comic Con Experience 2019 é marcado por cosplays; assista ao vídeo: Primeiro dia da Comic Con Experience é marcado por cosplays
Categorias: Notícias

Margot Robbie exibe cena de 'Aves de Rapina' na CCXP: 'Feminismo não é só para mulheres'

G1 - Cinema - 5 Dezembro, 2019 - 21:24

Elenco e diretora estão no Brasil para divulgar novo longa da DC, com estreia marcada para 6 de fevereiro. Margot Robbie no painel de 'Aves de Rapina' na CCXP 2019 Divulgação/I Hate Flash Margot Robbie, a diretora Cathy Yan e o elenco de "Aves de Rapina: Arlequina e sua Emancipação Fantabulosa" apresentaram a primeira cena do filme nesta quinta-feira (5) durante a Comic Con Experience 2019. Veja fotos da CCXP 2019 Confira a programação completa do auditório principal O filme mostra Arlequina independente do Coringa e como ela reúne as anti-heroínas do time. "Não me sentia pronta para me despedir da personagem depois de 'Esquadrão Suicida', então pensei que seria legal se o mundo visse a história da perspectiva dela", contou a atriz. Rosie Perez, Ella Jay Basco, Jurnee Smollett-Bell, Margot Robbie, Mary Elizabeth Winstead, Cathy Yan e a mediadora do painel, Mari Moon, na apresentação de 'Aves de Rapina' na CCXP 2019 Divulgação/I Hate Flash Na cena exibida, Arlequina chora porque terminou com o Coringa (Jared Leto), e decide queimar o lugar com produtos químicos no qual foi derrubada pelo vilão em "Esquadrão Suicida" (2016) ao ouvir das amigas que não o superou. Ao ir embora, ela anuncia que esta será a história de uma nova e independente Arlequina. Robbie diz que o filme é feminista, mas que não é limitado a isso. "Feminismo não é só para mulheres. Homens também podem ser feministas", afirmou. Margot Robbie participa de painel sobre 'Aves de Rapina' na CCXP 2019 Divulgação/I Hate Flash Para a atriz, o filme não seria tão libertador sem o toque da diretora Cathy Yan. "No segundo que a Cathy chegou com uma perspectiva feminina sobre o filme, sentimos que estávamos no caminho certo", disse Margot. Foi justamente a força das heroínas que chamou a atenção de Cathy para o projeto. Este é seu segundo filme como diretora, que estreou com "Dead Pigs" (2018). "É uma história inspiradora, de mulheres aprendendo a trabalhar juntas. E essa é a Gotham da Arlequina e não do Batman", disse a cineasta antes de apresentar um pouquinho da cidade famosa dos quadrinhos. Público vibra no painel de 'Aves de Rapina' na CCXP 2019 Divulgação/I Hate Flash 'Estado constante de dor' O filme é cheio de sequências de ação. Para encararem as gravações, as atrizes treinaram boxe e kickboxing por cinco meses. Jurnee Smollet-Bell ("True blood"), a Canário Negro, revelou que, durante o treinamento, viveu em "estado constante de dor". "Doía para ir ao banheiro", brincou. Mas o foco nas lutas foi muito importante para entrar no filme. "Como mulher, nosso corpo é sempre objetificado. E aprender a lutar foi empoderador porque comecei a ver meu corpo como uma máquina, ver a minha força." As atrizes Mary Elizabeth Winstead ("Fargo"), que interpreta Caçadora; Rosie Perez ("Segurando as pontas"), que dá vida a Renee Montoya; e a jovem Ella Jay Basco, que interpreta Cassandra Cain em seu primeiro filme, também participaram da apresentação. CCXP 2019: confira atalhos e destaques de painéis e estandes do evento
Categorias: Notícias

Coringas da CCXP contam se preferem Joaquin Phoenix ou Heath Ledger no papel

G1 - Cinema - 5 Dezembro, 2019 - 17:50

Fãs vestidos como o personagem se multiplicam na feira de cultura pop e se dizem na torcida por Phoenix no Oscar. Evento vai até domingo (8), no São Paulo Expo. Jessica Trevisan foi à CCXP 2019 vestida de Coringa na versão de Phoenix, mas prefere a de Heath Ledger Thaís Matos/G1 Joaquin Phoenix até merece indicação, mas a academia de cinema não está preparada para premiá-lo por sua atuação em "Coringa". Pelo menos é o que pensa a maioria dos cosplayers do personagem na CCXP 2019. Em ano com filme de origem do vilão, visitantes fantasiados do personagem se multiplicaram na feira. O comediante Giacomo Biaggio tem dois motivos para torcer por Phoenix: "Adorei a adaptação e o personagem também faz stand-up". Giacomo Biaggio foi de Coringa na Comic Con Experince 2019 Thaís Matos/G1 "Achei sensacional mostrar a comédia como algo subjetivo e abordar a realidade dura por trás da comédia de forma séria", diz. "Espero que seja indicado a melhor filme também. É um filme de arte, a academia gosta, tem grande chance." CCXP 2019: confira atalhos e destaques de painéis e estandes do evento Heath Ledger ou Joaquim Phoenix? A estudante Jessica Trevisan está vestida como a versão de Phoenix, mas sua preferida é a de Heath Ledger. Ela torce por Phoenix, mas acha que a academia "não está preparada para premiar quadrinhos". "Ele merece porque, de alguma forma, a gente se identifica pelo lado da empatia. A gente sente que ele estava certo, apesar da violência. O ator passa essa verdade", defende. O cosplayer profissional Jean Markus diz que não tem discussão: "Heath Ledger era coadjuvante e levou o filme nas costas. O melhor Coringa". Ele não é fã do filme da versão de Phoenix. Não pelo ator, mas pelo personagem. "Achei que ele estava muito burro, o Coringa geralmente é mais sagaz". Cosplayer profissional Jean Markus na Comic Con Experience 2019 Thaís Matos/G1 Apesar disso, ele acha que o ator será indicado, mas não leva. O estudante Eric Ferraz Gazzola escolheu a versão de "Batman, o príncipe encantado das trevas", sem adaptação para o cinema. "Me reconheço nele porque ele é mais piadista, não é tão mau. E a roupa dele é muito estilosa, o Coringa é um personagem de estilo", diz Gazzola. Para ele, por mais que tenha o Robert De Niro com "O Irlandês", Joaquin Phoenix tem alguma chance no Oscar. Eric Ferraz Gazzola escolheu a versão de Coringa de 'Batman, o príncipe encantado das trevas', sem adaptação para o cinema Thaís Matos/G1 "Você sente a risada dolorosa dele, capta o resultado das ações dos outros sobre ele", diz. Mas sua versão preferida é a de Jack Nicholson. A dentista Larissa Cruz é a única que não defende a atuação de Phoenix. "Ele se esforça demais. Pra mim, parece um palhaço assassino genérico e não o Coringa. Não me convenceu", diz Larissa. Sua fantasia na feira é uma "mistura de todos". "Mas tem mais do Coringa dos jogos, o melhor." Larissa Cruz foi a única cosplayer de Coringa que não defendeu a atuação de Joaquin Phoenix nesta quinta-feira (5), primeiro dia de CCXP 2019 Thaís Matos/G1
Categorias: Notícias

'Mulan' ganha novo trailer com desafios que personagem enfrentará; ASSISTA

G1 - Cinema - 5 Dezembro, 2019 - 14:16

Filme é inspirado na animação da Disney e estreia em 26 de março no Brasil. Liu Yifei interpreta a heroína. Assista ao 2º trailer de 'Mulan' O filme "Mulan", inspirado na animação da Disney, ganhou novo trailer nesta quinta-feira (5). Assista acima. Os desafios que a heroína Mulan, interpretada pela atriz chinesa Liu Yifei, terá que enfrentar são destaques no novo vídeo. Donnie Yen, Jet Li e Li Gong também estão no elenco do longa que estreia em 26 de março no Brasil. O novo longa é inspirado na animação de 1998, que arrecadou mais de US$ 300 milhões no mundo todo. Na história original, a jovem chinesa se disfarça de homem para evitar que seu pai tenha que se juntar ao exército do país. "É meu dever proteger a minha família", diz Mulan no segundo trailer, antes de sair de casa para ir ao campo de batalha no lugar do pai. O primeiro trailer do filme foi divulgado em julho. Yifei, de 30 anos e também conhecida como Crystal Liu, é uma das atrizes mais populares da atual geração na China. Além de participar de produções do país, ela atuou em inglês em filmes americanos como "O reino proibido" (2008) e "O imperador" (2014). Liu Yifei como Mulan em primeira foto do novo filme da personagem Reprodução/Twitter/Disney
Categorias: Notícias

Princesa Leia terá papel central em encerramento da saga Skywalker em 'Star Wars'

G1 - Cinema - 5 Dezembro, 2019 - 14:13

Diretor J.J. Abrams disse ter imagens inéditas suficientes da atriz para fazer de Leia uma presença central no filme. Carrie Fisher em 'Os últimos Jedi' Divulgação/Disney O muito aguardado capítulo final da saga Skywalker terá um papel crucial para a princesa Leia, personagem amada de "Star Wars" interpretada pela atriz Carrie Fisher, que morreu em 2016. O roteirista e diretor J.J. Abrams disse ter imagens inéditas suficientes de Fisher --sobras da filmagem de "O Despertar da Força", de 2015-- para fazer de Leia uma presença central em "A Ascensão Skywalker", que estreia nos cinemas dos Estados Unidos no dia 20 de dezembro. Fisher morreu em dezembro de 2016, aos 60 anos. "Não poderíamos contar a história sem Leia", disse Abrams em uma entrevista concedida na quarta-feira (4). "Ela é a mãe do vilão. Ela é, em certo sentido, a mãe da resistência, da rebelião, a líder, a general", afirmou. O diretor J.J. Abrams durante promoção do filme “Star Wars: A Ascensão Skywalker” REUTERS/Mario Anzuoni "Seu papel é, eu diria, integral", acrescentou. "Isso não é só uma coisa cosmética em que estamos meio que encaixando Leia". "A Ascensão Skywalker" é o nono filme da celebrada franquia espacial, que estreou em 1977 e hoje é de propriedade da Walt Disney. Nos filmes mais recentes, Leia chegou ao posto de general na liderança do combate à maligna Primeira Ordem na galáxia muito, muito distante. Seu filho é Kylo Ren (Adam Driver), o guerreiro que assumiu o comando da Primeira Ordem no final de "Os Últimos Jedi", de 2017. Trailer final de 'Star Wars: A Ascensão Skywalker' Se Fisher estivesse viva, "não há dúvida de que teríamos feito, tenho certeza, filmagens adicionais e outras coisas", disse Abrams. "Mas o fato de que tínhamos o material para fazer o que fizemos é incrivelmente gratificante". Daisy Ridley, que vive a combatente da resistência Rey, gravou cenas para "A Ascensão dos Skywalker" nas quais sua personagem interage com as imagens previamente gravadas de Fisher. "Eu estava basicamente reagindo a imagens que tinha visto dela, então foi bastante comovente, muito estranho", disse Ridley. "Mas acho que você tem uma sensação verdadeira do amor entre Leia e Rey neste filme, e Leia é uma grande parte da história". O piloto Poe Dameron (Oscar Isaac) e a mecânica Rose Tico (Kelly Marie Tran) também têm cenas que incluem diálogos com Leia, disseram membros do elenco. Abrams disse que a filha de Fisher, Billie Lourd, que aparecerá pela terceira vez como tenente das forças da resistência, também será vista na tela com a mãe.
Categorias: Notícias

Rami Malek confirma aposentadoria de Daniel Craig do papel de James Bond: 'É claro que é seu último'

G1 - Cinema - 5 Dezembro, 2019 - 08:19

Elenco falou ao Good Morning America da ABC no dia do lançamento do trailer do novo longa da saga, previsto para chegar ais cinemas em abril de 2020. Daniel Crag se despede de James Bond em "007 - Sem Tempo Para Morrer" Divulgação No filme mais recente de James Bond, "Sem Tempo para Morrer", Daniel Craig veste o famoso smoking do icônico agente secreto britânico 007 pela quinta e última vez. O ator, elenco e equipe do aguardado filme, o 25º da franquia, com lançamento previsto para abril de 2020 nos EUA, revelaram pouco durante uma aparição no Good Morning America da ABC nesta quarta-feira (4) quando o primeiro trailer do filme foi exibido, mas confirmaram que Craig está se aposentando do papel. "Este filme é especialmente sentimental e significativamente memorável por várias razões, é claro que é o seu último", disse Rami Malek, outra estrela do filme, em referência a Craig, que interpreta Bond desde sua primeira aparição no papel em "Casino Royale", em 2006. Craig se mostrou relutante quando perguntado como se sentia sobre sua despedida, mas, sobre trabalhar em "Sem Tempo para Morrer", ele disse: "A maior surpresa foi o quanto me diverti e tive a chance de trabalhar com todas essas pessoas incríveis." Assista ao trailer de "007-Sem Tempo para Morrer" O trailer do filme, dirigido por Cary Fukunaga, mostrava muitas frases emblemáticas de 007, perseguições de carros em alta velocidade e explosões. Os produtores disseram que o filme mostrará Bond aproveitando uma vida tranquila na Jamaica depois de deixar o serviço ativo, antes de seu velho amigo Felix Leiter, da CIA, aparecer pedindo ajuda. Bond então embarca em uma missão para resgatar um cientista sequestrado, o que o coloca no rastro de um misterioso vilão mascarado --interpretado pelo vencedor do Oscar Malek-- e armado com novas tecnologias perigosas. A franquia Bond é uma das mais lucrativas do mundo, com "Spectre" de 2015 arrecadando US$ 880 milhões (cerca de R$ 3,3 bilhões) nas bilheterias globais, enquanto "Skyfall" de 2012 arrecadou mais de US$ 1 bilhão (R$ 4,2 bilhão) em todo o mundo.
Categorias: Notícias

Carol Castro diz que 'O Juízo' vem em momento mais seguro da carreira: 'Kikito me deu carimbo de autenticidade'

G1 - Cinema - 5 Dezembro, 2019 - 06:01

Atriz protagoniza suspense de Andrucha Waddington que estreia nesta quinta (5). Elenco também tem Felipe Camargo, Criolo, Fernanda Montenegro e Lima Duarte. A personagem de Carol Castro começa e termina "O juízo" ao volante do carro do diretor Andrucha Waddington. É representativo, ela diz emocionada, deste momento em que sente que tomou a direção, finalmente, de sua carreira. O suspense chega nesta quinta-feira (5) com Carol em um papel diferente da carreira: mãe de um adolescente, ela é responsável por manter a estranha família ilesa. Com 35 anos de idade e 20 de profissão, a atriz é agradecida por sua trajetória, mas tem um porém: por muito tempo, diz ter feito muitos papéis sensuais. “No início da carreira teve esse momento de fazer personagens parecidos e muito porque eu não tinha maturidade e nem experiência para me posicionar, me defender ou escolher o que eu gostaria de fazer. Hoje eu tenho mais bagagem, estou em um lugar de escolher o que eu faço.” Assista ao trailer do filme 'O Juízo' Agora, ela tem uma pequena ajuda para ter mais segurança na hora de aceitar ou rejeitar papéis: um Kikito, prêmio do festival de cinema de Gramado, como melhor atriz coadjuvante pelo filme “Veneza”. "Isso também traz um reconhecimento, um carimbo de autenticidade ali, é muito importante." Ela ficou conhecida na TV, rodou o brasil no teatro, mas gosta mais de fazer cinema. Apesar disso, acha que essa “richa” tem que acabar. “Eu acho uma besteira.” Até o fim de dezembro, ela roda uma comédia em São Paulo. Para 2020, ainda não há planos. “Fica difícil estar em um projeto já pensando em outro. As coisas vão acontecendo.” Carol Castro, Felipe Camargo e Joaquim Torres Waddington em 'O Juízo' Divulgação/Dan Behr Criolo, Felipe Camargo e Joaquim Torres Waddington também estão no elenco. Fernanda Montenegro e Lima Duarte atuam como coadjuvantes, mas foram imprescindíveis para a criação da atmosfera de suspense de “O Juízo”. A história foi escrita por Fernanda Torres, mas não impediu que Montenegro levantasse questões. “Eles questionavam várias coisas, foi uma grande preparação”, diz Carol. Fantasmas de ex-escravos No filme, a família principal é assombrada pelo fantasma de dois ex-escravos de seus antepassados. “É o carma brasileiro, que a gente carrega dos nossos antepassados.” E a casa onde o filme acontece carrega essa história. “Deixo da sala de jantar era a senzala.Então só a locação já nos colocava nesse desconforto histórico que nos acompanha.' O Brasil tem apostado em suspense e terror. Nos últimos dois anos, foram "Morto não fala", "A sombra do pai", "Animal cordial" e "Boas boas maneiras". Bastidores da gravação do filme 'O Juízo', com Fernanda Montenegro Divulgação/Globo Filmes "O juízo" é, de certa forma, precursor desse movimento. Fernanda Torres escreveu o roteiro em 2012. O filme só foi rodado em 2016. “Ela mesma diz que nessa época o cinema brasileiro estava muito voltado para comédias ou cinema muito realista, estava faltando esse gênero. Vários dos suspenses de agora foram gestados nessa época”, conta Carol. Para a atriz, isso é um "ótimo sinal". "Indica que estamos abrindo um leque, para mostrar que o cinema brasileiro pode ir muito além das comédias e filmes sociais."
Categorias: Notícias

CCXP 2019 tem Margot Robbie no 1º dia: veja destaques em vídeo e programação do maior auditório

G1 - Cinema - 5 Dezembro, 2019 - 06:00

Evento de cultura pop acontece até domingo (8) no São Paulo Expo com todos os ingressos esgotados. CCXP 2019: confira atalhos e destaques de painéis e estandes do evento A Comic Con Experience 2019 começa nesta quinta-feira (5) na São Paulo Expo. Com os ingressos esgotados para todos os dias, o evento de cultura pop espera reunir 280 mil pessoas até o domingo (8). Assista aos principais destaques no vídeo acima. Esta décima edição reúne alguns dos maiores convidados já anunciados desde seu início como: Margot Robbie e outras atrizes do elenco de "Aves de Rapina (Arlequina e sua Emancipação Fantabulosa)"; Gal Gadot e Patty Jenkins, a protagonista e a diretora de "Mulher-Maravilha 1984"; o trio de heróis (Daisy Ridley, Oscar Isaac e John Boyega) e o diretor (J. J. Abrams) de "Star Wars: A ascensão Skywalker"; o presidente dos estúdios Marvel, Kevin Feige; parte do elenco de séries como "La casa de papel", "His dark materials", "The Boys", "Star Trek: Picard" e "The Expanse"; o ator Ryan Reynolds em dois painéis diferentes; e elencos de "Eu, a Vó e a Boi", "Onde Está Meu Coração" e "Desalma". O evento ainda oferece a oportunidade do público conferir algumas animações antes de seu lançamento, como "Playmobil - O filme" e "Frozen 2". Confira abaixo a programação completa do auditório Cinemark, o principal da CCXP 2019: Quinta-feira (5) Margot Robbie em cena de 'Aves de Rapina: Arlequina e sua Emancipação Fantabulosa' Reprodução 12h30 - Castelo Rá-Tim-Bum: Cao Hamburger e os 25 anos da série 14h - Rei Leão: Dando vida à savana 15h - Homem-Aranha: Desbravando o Aranhaverso 16h - Entendendo o Terror Japonês - Com Takashi Shimizu 17h - Riot Games 18h - Sor Batman: Iain Glen 19h - Batman - 80 Anos 20h - Warner Bros. - "Aves de Rapina" - com Margot Robbie, parte do elenco e diretora Sexta-feira (6) Elenco de 'Eu, a vó e a boi': Turandot (Arlete Salles), Celeste (Giovana Zotti), Norma (Danielle Winits) e Roblou (Daniel Rangel) Globo/Victor Pollak 11h - "Playmobil: O Filme" - pré-estreia exclusiva 13h - A criação de "Playmobil - O Filme" 14h - Globoplay: Gêneros - com Paulo Silvestrini, Arlete Salles, Dani Winits, Daniel Rangel, Marco Luque e Alessandra Maestrini de 'Eu, a Vó e a Boi'; George Moura, Luisa Lima, Fábio Assunção e Mariana Lima, de 'Onde Está Meu Coração'; e e Manguinha, Cassia Kis, Ana Paula Maia, Claudia Abreu e Maria Ribeiro, de "Desalma" 15h30 - Lana Parrilla: Era Uma Vez uma Rainha 16h30 - MSPVERSO - As novidades da MSP pra 2020 17h30 - Cartoon Network - "Trem Infinito" 18h30 - Amazon Prime Video - com partes dos elencos de "The Boys", "Star Trek: Picard" e "The Expanse" Sábado (7) Elenco e diretor de ‘Star Wars: A Ascensão Skywalker confirmam participação na CCXP 2019 Divulgação 10h - "Frozen 2" - Pré-estreia especial 12h - "Frozen 2" - De volta a Arendelle 12h30 - Pixar - Dois Irmãos: Uma Jornada Fantástica 13h30 - Disney Parks - Star Wars: Galaxy's Edge 14h15 - "Um Espião Animal" 15h - "Free Guy - Assumindo o Controle" - com Ryan Reynolds, Joe Kerry, Shawn Levy 16h - Marvel Studios - com Kevin Feige 17h - "Star Wars" - com Daisy Ridley, J.J. Abrams, John Boyega, Oscar Isaac, Kathleen Kennedy Domingo (8) Gal Gadot em 'Mulher Maravilha' Divulgação 11h - Batman 80 anos - "The Dark Knight Returns: The Golden Child" - com Frank Miller, Rafael Grampá, Silenn Thomas, Justin Townsend 12h - Netflix - com parte dos elencos de "La casa de papel" e de "Esquadrão 6", com Ryan Reynolds 15h - HBO - com parte do elenco de "His Dark Materials" 16h30 - Warner Bros. 2020 17h30 - Warner Bros. apresenta: "Mulher-Maravilha 1984" - com Gal Gadot , Patty Jenkins CCXP 2019 Quando: 5 a 8 de dezembro Horários: Quinta e sexta das 12h às 21h; sábado das 11h às 21h e domingo das 11h às 20h Onde: São Paulo Expo - Rodovia dos Imigrantes, km 1,5 - Água Funda, São Paulo Ingressos esgotados
Categorias: Notícias

Ancine retira divulgação de filmes brasileiros de sede e site

G1 - Cinema - 4 Dezembro, 2019 - 12:22

Artistas usam redes sociais para divulgar produções nacionais em resposta ao órgão. Habituado na década de 1940, "A Vida Invisível" mostra os conflitos e dificuldades enfrentadas por duas irmãs num ambiente patriarcal Divulgação A Ancine (Agência Nacional do Cinema) retirou a divulgação de filmes nacionais de sua sede e seu site no último mês. De sua sua sede, a agência tirou cartazes que divulgavam produções recentes em suas áreas comuns na última sexta-feira (29), a pedido de sua diretoria. "Eles foram retirados das áreas comuns, como corredores. Dentro dos setores, não houve ordem. Na comunicação ainda temos. A assessoria internacional ainda tem. É prerrogativa de cada área" disse Érico Cazarré, assessor de comunicação do órgão. Já do site, foram retirados banners com filmes e festivais no dia 14 de novembro. Segundo Cazarré, a ação foi feita em conjunto com o presidente da Agência. "Nós tínhamos uma aba que mantinha a divulgação de filmes, cartazes e trailer. Eu retirei a aba como um todo. E uma outra que divulgava eventos e festivais." De acordo com Cazarré, a decisão foi tomada para seguir "princípios de isonomia". "Se eu tenho um cartaz de um filme aqui, eu tenho que ter de todos. Eu sei que no clima que as coisas andam, as coisas são levadas para outro lado." Nas redes sociais, atores, atrizes, diretores, produtores e cinemas responderam à ação da Ancine com a divulgação de filmes nacionais. "Em resposta à retirada dos cartazes de filmes brasileiros das paredes e plataformas digitais da Ancine. Eles retiram, nós espalhamos e relembramos aqui. Me orgulho de fazer parte de tantas produções nacionais. Viva o nosso Cinema Nacional", disse Glória Pires ao divulgar filmes em que participou durante toda a carreira. Initial plugin text Divulgando quase uma dezena de longas, Alinne Moraes comentou: "Absurda a retirada dos cartazes de filmes brasileiros das paredes e plataformas digitais da Ancine". Initial plugin text Paulo Miklos também mandou um recado ao órgão. "Alô Ancine, pode pendurar este cartaz na parede", disse em referência à arte do filme "The Friendly man". Initial plugin text Ísis Valverde, Débora Falabella, Tatá werneck, Thalita Carauta, Miá Mello, Alice Wegman, Guta Stresser, Monica Iozzi e outros artistas também aderiram á campanha com as hashtags "o cinema brasileiro em cartaz" e "Ancine sem filme e sem cartaz". G1 em 1 Minuto: 'Se não puder ter filtro, nós extinguiremos a Ancine', diz Bolsonaro
Categorias: Notícias

Páginas

Subscrever Joio agregador - Notícias