Notícias Joio

Novo 'A dama e o vagabundo' com atores ganha trailer; ASSISTA

G1 - Cinema - 23 Agosto, 2019 - 21:33
Refilmagem do clássico animado de 1955 estreia no dia 12 de novembro no serviço de vídeos da Disney. Assista ao trailer de 'A dama e o vagabundo' A Disney divulgou nesta sexta-feira (23) o primeiro trailer do novo "A dama e o vagabundo", sua versão com atores do clássico animado de 1955. A publicação foi feita na D23, seu grande evento que acontece a cada dois anos. Assista ao vídeo acima. A história sobre o romance entre uma cadela doméstica e um vira-latas das ruas estreia no Disney+, serviço de vídeos do estúdio, no dia 12 de novembro. No filme, ela é dublada por Tessa Thompson ("Thor: Ragnarok") e ele por Justin Theroux ("The leftovers").
Categorias: Notícias

'Vingadores: Ultimato', 'Bacurau', 'Rocketman' e 'Dor e Glória' vão ser exibidos em cinema ao ar livre em SP

G1 - Cinema - 23 Agosto, 2019 - 11:58

Venda de ingressos do Festival Open Air começa neste sábado. Veja programação do evento que acontece entre os dias 11 e 29 de setembro no Jockey Club. Cena do filme 'Vingadores: Ultimato' Divulgação/Marvel "Bacurau", "Rocketman" e "Dor e Glória" estão entre os filmes que serão exibidos no festival Open Air, considerado o maior cinema ao ar livre do mundo. O evento acontece entre os dias 11 e 29 de setembro, no Jockey Club, em São Paulo. A programação une clássicos do cinema, "Rush No Limite da Emoção", "Grease", a recentes sucessos de bilheteria, "Capitã Marvel" e "Vingadores Ultimato". "Green Book: O Guia", "Infiltrado na Klan" e "Nasce Uma Estrela", vencedores do Oscar neste ano, também serão exibidos na tela de 325m², equivalente a uma quadra de tênis. Os ingressos custam R$ 50 (inteira) e R$ 25 (meia) e começam a ser vendidos neste sábado (24) pelo site oficial. Gabriel Moreira, Giulia Benite, Kevin Vechiatto e Laura Rauseo em cena de 'Turma da Mônica: Laços' Divulgação/Serendipity Inc O evento também conta com espaço gastronômico e programação infantil aos sábados com recreação e filmes dedicados aos pequenos, como "Toy Story 4", "Turma da Mônica Laços" e "Alladin". As bandas Academia da Berlinda e Los Sebosos Postizos e os DJs Tamenpi e Halessia também estão escalados para o evento. Veja programação de filmes abaixo: 11 de setembro - "Rush – No limite da emoção" (20h)* 12 de setembro - "Grease – Nos Tempos da Brilhantina" (20h) 13 de setembro - "Infiltrado na Klan" (20h) 14 de setembro - "Aladdin" (18h); "Matrix" (22h) 15 de setembro "Capitã Marvel" (18h) 18 de setembro - "Dor e Glória" (20h); "Nós" (0h) 19 de setembro - "Priscila, a Rainha do Deserto" (20h) 20 de setembro - "Nasce Uma Estrela" (20h) 21 de setembro - "Turma da Mônica Laços" (18h); "Um Lugar Chamado Notting Hill" (22h30) 22 de setembro - "Vingadores: Ultimato" (18h) 25 de setembro - "Bacurau" (20h); "Cemitério Maldito" (00h) 26 de setembro - "Rocketman" (20h) 27 de setembro - "Green Book: O Guia" (20h) 28 de setembro - "Toy Story 4" (18h), "South Park: Maior, Melhor e Sem Cortes" (22h30) 29 de setembro - "E.T. – O Extraterrestre" (18h) * Sessão com ingressos gratuitos com sorteio nas redes sociais do evento. Open Air (SP) Data: 11 a 29 de setembro - de quarta a domingo Local: Jockey Club de São Paulo - Rua Dr. José Augusto de Queiroz, Portão 1 - Cidade Jardim Telefone: (11) 2161-8300 Ingressos: R$ 50 (inteira) e R$ 25 (meia-entrada) Vendas: Site oficial, Teatro J. Safra (ponto de venda sujeito à cobrança de taxa de conveniência) e Allianz Parque (bilheteria oficial)
Categorias: Notícias

'Brinquedo assassino', 'Um amor impossível' e 'Socorro! Virei uma garota' são estreias; veja VÍDEO

G1 - Cinema - 23 Agosto, 2019 - 06:00
Recomeço de franquia de terror, comédia adolescente brasileira e romance francês são destaques da semana nos cinemas. G1 comenta estreias. Boneco assassino Chucky volta para as telonas em "Brinquedo Assassino" Uma refilmagem de uma das franquias de terror mais conhecidas, uma comédia adolescente brasileira e um drama romântico francês são os destaques entre as estreias desta quinta-feira (22) nos cinemas do país. Assista ao vídeo acima. 'Brinquedo assassino' Trailer de "Brinquedo assassino" O oitavo filme da franquia estrelada por Chucky é na verdade um recomeço. O novo "Brinquedo assassino" moderniza a história, ao trocar o espírito de um serial killer preso em um boneco por um pequeno robô doméstico que mata qualquer um que ameace seu dono. Na voz de Chucky está Mark Hamill, o Luke Skywalker de "Star Wars", um ator com uma bela carreira como dublador. A seu lado está a atriz Aubrey Plaza, conhecida por séries como "Legion" e "Parks and recreation". 'Socorro! Virei uma garota' 'Socorro, virei uma garota': assista ao trailer A comédia adolescente conta a história de um jovem que pede a uma estrela cadente para se tornar o aluno mais popular de seu colégio. A pegadinha é que o desejo acaba lhe transformando na garota mais conhecida da escola. No papel do protagonista transformado está Thati Lopes, conhecida pelo humor de "Porta dos Fundos" e pela novela "Espelho do querer". O roteiro é assinado por Paulo Cursino, que assina a série de filmes "De pernas pro ar", de Ingrid Guimarães. 'Um amor impossível' O drama romântico foi indicado a quatro prêmios Cesar, o maior do cinema francês. Entre as categorias estão para melhor atriz, para Virginie Efira, e para melhor roteiro adaptado. Isso porque a história de uma funcionária de escritório que tenta fazer com que uma antiga paixão assuma a paternidade de sua filha na França dos anos 1950 é adaptação do livro de mesmo nome de Christine Angot.
Categorias: Notícias

Ministro nega censura e diz que governo tem direito de definir temas em editais de cinema

G1 - Cinema - 22 Agosto, 2019 - 13:57
Osmar Terra falou sobre a suspensão de um edital que havia selecionado séries sobre diversidade de gênero e sexualidade a serem exibidas nas TVs públicas. O ministro da Cidadania, Osmar Terra, negou nesta quinta-feira (22) que a suspensão de um edital que havia selecionado séries sobre diversidade de gênero e sexualidade a serem exibidas nas TVs públicas tenha sido um ato de censura. Ele justificou a decisão dizendo que o edital foi lançado no governo passado e que a atual gestão tem o direito de opinar sobre os “temas que são mais importantes” nos editais do setor audiovisual que envolvam recursos públicos. "Por que os temas tem que ser propostos por um funcionário do governo passado e temos que aceitar tudo? É essa a discussão. Não tem nada de censura", afirmou em entrevista a jornalistas em São Paulo. “Todo mundo pode fazer o filme que quiser. Só que se vai receber recurso público, temos o direito de opinar sobre os termas que são as importantes, até para não ter um filme que vai receber um recurso e que não tem importância nenhuma para a sociedade”, completou. Conheça as séries pré-aprovadas no edital Questionado se temáticas LGBT não são consideradas importantes para o governo e se obras que envolvem essa abordagem sofreram algum tipo de barreira nos próximos editais, o ministro desconversou, destacando que “não tem nada contra o tema LGTB”. “Pode ser, pode não ser. Eu não tenho nada contra tema de LGTB, nem nada. Eu só quero saber se tem alguma coisa que é prioritária do que isso. Eu tenho o direito de debater isso.” O ministro disse também ter sido surpreendido pela afirmação do secretário especial de Cultura do Ministério da Cidadania, Henrique Pires, que disse ter tomado a decisão de sair do cargo após a decisão do governo de suspender o edital após as críticas do presidente Jair Bolsonaro. “Fiquei surpreso até porque ele nunca falou nada sobre isso. Nunca me trouxe nada. Pelo contrário, apoiou todas as medidas que estávamos tomando, e não tem nada de censura”, afirmou, reafirmando que o secretário foi, na verdade, demitido. “É uma questão de perfil de gestão. Ele não tem o perfil para a gestão da secretaria, e disse para ele que ele iria sair”, explicou. “Todas as discussões que tivemos sobre cinema e teatro, ele participou e apoio. Nunca tinha me falado nada sobre isso. Acho que ele criou um enredo para justificar a saída, que era inevitável”, completou.
Categorias: Notícias

Do 'Porta dos Fundos' ao cinema: Thati Lopes estrela 'Socorro, virei uma garota' e prepara mais filmes

G1 - Cinema - 22 Agosto, 2019 - 06:00

Atriz de 29 anos vive adolescente nerd preso no corpo da garota mais popular da escola. 'Conseguimos educar quando tocamos em assuntos sérios por meio do humor', diz ao G1. Thati Lopes é protagonista do longa 'Socorro, virei uma garota' Divulgação/Paprica Fotografia Em "Socorro, virei uma garota", que estreia nesta quinta-feira, um garoto nerd não usa bem as palavras diante de uma estrela cadente e acorda como a garota mais popular do colégio. Thati Lopes, que você deve conhecer do "Porta dos Fundos", interpreta a tal menina. A garota tem momentos de tensão e vulnerabilidade. A atriz de 29 anos, ao contrário, parece inabalável: não liga para haters, não parece nervosa com sua primeira protagonista no cinema e lida bem com a perda da mãe, que morreu quando ela era pequena. Thati faz piada sobre tudo. E planeja mais quatro filmes para os próximos meses. Mas não confunda a leveza com frieza ou insensibilidade. Ela parece bem resolvida. Em uma das cenas, sua personagem reencontra a mãe que morreu. Thati não se abalou. Diz ter usado a própria experiência para atuar. "Por eu ter passado por isso, foi mais fácil acertar esse momento de alguma forma." 'Socorro, virei uma garota': assista ao trailer Ela também se controla com questões sociais ou políticas: “Eu acredito que conseguimos educar quando tocamos em assuntos sérios por meio do humor. Têm muitos vídeos [do ‘Porta dos fundos’] que eu mando pras pessoas. Elas ficam resistentes de ler matérias, mas aceitam as esquetes. É gratificante." Socorro, virei uma protagonista Foi o diretor Leandro Neri que ligou para convidá-la. "Quando li o texto, achei legal a possibilidade de trabalhar várias nuances, momentos engraçados, tristes, emocionantes. Quando descobri o elenco, fiquei mais encantada - só amigos e meu namorado." Apesar de ser um filme para jovens, o time é experiente: Vanessa Gerbelli, Nelson Freitas, Kayky Brito e Bruno Gissoni. O roteiro é de Paulo Cursino (“De pernas para o ar”). Mas os personagens só existem do jeitinho que são pelos toques de Thati e Victor Lamoglia (de outro canal do YouTube, o Parafernalha). Os atores interpretam o mesmo personagem e namoram há cinco anos. "Criamos coisas juntos e elas foram aceitas. Foi um processo livre e leve." Thati Lopes e Victor Lamoglia Reprodução/Instagram O filme se propõe a quebrar estereótipos de gênero, mas escorrega em alguns conceitos. Em um dos momentos, uma personagem quer dizer à amiga que ela não precisa se vestir para agradar outras pessoas. Mas cai na armadilha de dizer que um decote mais fundo é vulgar. Em outro, a personagem diz que é mais fácil ser mulher do que homem. Questionada, Thati não titubeia. "É a visão de um homem sobre o que é ser mulher. A gente não está super levantando bandeira. É um filme sobre aceitação e amor, sobre ser quem é e amar quem quiser." "Não é fácil. Eu lido todo dia com diversas situações, na vida e no trabalho. Eu tenho a sorte de estar no ‘Porta’ com um grupo que nos escuta, com roteiristas mulheres. Leio os comentários e fico chocada." "O que vem das redes ignoro porque consome muito, mas quando acontece algo pessoalmente eu me imponho e faço a pessoa perceber que está errada”. Humorista não, atriz Thatiane é bem-humorada desde pequena e não perde a oportunidade de comediar a vida - mesmo em 25 minutos de entrevista pelo telefone. Mas apesar de ser grata, ela não quer ser rotulada como comediante: “Não que me incomode, mas eu faço de tudo. Prefiro ser conhecida como ‘a atriz Thati Lopes’”. De olho na versatilidade, ela se aproxima cada vez mais do cinema. Gravou, com Luís Lobianco e Thiago Rodrigues, o filme “Carlinhos e Carlão”. Com Marcelo Serrado e Luís Miranda, “Liberdade Mata” tem previsão de estreia para o ano que vem. Agora, se prepara para fazer mais dois. Começa a filmar neste mês a comédia romântica “Cedo demais”, dirigida por José Lavigne. Em janeiro, parte para os Estados Unidos para filmar “Diário de intercâmbio” com Larissa Manoela. E, é claro, continua gravando Porta dos Fundos. “Estou exatamente como eu queria. Boto a cabeça no travesseiro e sou genuinamente feliz.” Tem ainda planos de fazer outra novela ano que vem e voltar para para o teatro, em algum musical. Thati, que estrelou “Se eu fosse você” e “Confissões de adolescente”, “morre de saudade” de soltar a voz, mas não consegue conciliar o trabalho com as longas temporadas que os musicais costumam ficar em cartaz. Ela também não pensa em matar a saudade com um álbum. “Eu sou atriz que canta, mas não cantora. Fazer single, clipe, emplacar hit? Não é comigo." Expulsa por padre Atriz Thati Lopes Divulgação/Montenegro Talents Quem vê Thatiane desbocada no Youtube não imagina que ela passou a infância na igreja evangélica e a adolescência na católica. No ano passado, viveu sua experiência religiosa mais intensa: foi expulsa de um encontro de jovens católicos por um padre quando este descobriu sua participação no “Porta”. “Aquela igreja que se diz acolhedora acabou. Mas continuo com minha fé. Sou muito Jesus Cristo, só não acredito nos dogmas. Prefiro fazer o bem." Jogo da vida No momento em que conversava com o G1, a atriz recebia o encanador para ligar o gás do apartamento para o qual está se mudando com o namorado. Ela se apaixonou quando o viu no palco. “Victor é bem humorado e brincalhão. E ele é tão bom, tem coisa que eu fico tentando copiar. E é muito leve trabalhar com ele, fizemos dois filmes, fizemos teatro. As pessoas dizem que é atrapalha a relação, mas com ele é perfeito." O namoro entre dois artistas de comédia tem lá sua graça. “No momento, estamos com mania de fazer rimas zoando um ao outro. De forma saudável. Ou não! O tempo fecha só na hora do jogo”, diz rindo. O casal é viciado em jogos de tabuleiros e compartilha mais de 100 deles. No novo apartamento, há uma sala especialmente para guardar os xodós e receber amigos. “Antes dele, eu já andava com cartas na bolsa. E ele é bem nerd. Uma vez fomos a um bar de jogos em São Paulo e desde então virou nossa obsessão. Agora temos um Instagram só para isso. É o que mais fazemos no tempo livre.” Initial plugin text
Categorias: Notícias

'Veneza', dirigido por Miguel Falabella, ganha trailer; ASSISTA

G1 - Cinema - 22 Agosto, 2019 - 06:00

Filme com Eduardo Moscovis, Carol Castro, Dira Paes e Danielle Winits vai ser exibido no Festival de Gramado nesta quinta (22) e nesta sexta (23). 'Veneza', dirigido por Miguel Falabella, ganha trailer O filme "Veneza", dirigido por Miguel Falabella, ganhou trailer nesta quinta-feira (22). A produção será exibida no mesmo dia no Festival de Gramado, às 20h30. Uma nova sessão acontece na sexta-feira (23), às 9h, seguido de um debate com participação de elenco e do diretor. O filme tem participação de Eduardo Moscovis, Dira Paes, Carol Castro e Danielle Winits, além da atriz espanhola Carmen Maura. Ela interpreta a cafetina conhecida como Gringa, que vai atrás do sonho de encontrar o único homem que já amou na cidade italiana do título. A história é uma adaptação da peça "Venecia", do escritor argentino Jorge Accame, e foi gravada no Uruguai e na Itália. Filme 'Veneza' ganha pôster Divulgação
Categorias: Notícias

'Bacurau' brinca com gêneros e expectativas em crônica violenta e sarcástica; G1 já viu

G1 - Cinema - 22 Agosto, 2019 - 06:00

Filme de Kleber Mendonça Mendonça Filho e Juliano Dornelles com Sônia Braga conta história local de resistência com ressonância mundial, e estreia no dia 29. Não é sempre que o cinema brasileiro consegue equilibrar tão bem o realismo pelo qual é conhecido com diferentes características de filmes de gênero, como ação ou suspense. "Bacurau", primeira produção nacional a ganhar o Prêmio do Júri no Festival de Cannes estreia no próximo dia 29 com uma mistura certeira de crítica, sarcasmo e, em certo grau, diversão pop. Esta é a segunda colaboração da atriz Sônia Braga com o cineasta de "Aquarius" (2016), Kleber Mendonça Filho. Os dois se reúnem também com Juliano Dornelles, que deixa a direção de arte e divide os créditos de direção e de roteiro. Juntos, o trio parte de uma história bem específica sobre um povoado no sertão do Pernambuco em um futuro semi-distópico para contar uma crônica universal de união e resistência. Assista ao trailer do filme Bacurau A caçada mais perigosa Na coletiva de imprensa desta terça-feira (20), Braga pediu para que os jornalistas contassem o menos possível sobre a história. Por mais que "Bacurau" seja um daqueles filmes no qual a viagem é muito mais importante que o destino, é possível respeitar o desejo da atriz – até certo ponto, pelo menos. O título se refere a um pequeno vilarejo no interior do estado que aprendeu a viver à margem do governo local. O problema com o abastecimento de água logo parece um detalhe quando um grupo de forasteiros chega à região com intenções claramente sinistras, e todos percebem que a comunidade desapareceu do mapa. A história de poderosos caçando oprimidos não é exatamente inédita, mas é usada com inteligência pelo roteiro para mostrar como é fácil subestimar aqueles que parecem mais fracos – e o quanto isso é perigoso. Sônia Braga e Udo Kier em cena de 'Bacurau' Divulgação A força do todo Entre uma população constituída dos mais variados tipos, de pistoleiros a professores e prostitutas, todos têm seu papel, e é difícil estabelecer protagonistas claros. Com o tempo, fica claro que o herói é o próprio povoado, mesmo que alguns nomes se destaquem. A participação de Braga é curta, porém brilhante como sempre. Silvero Pereira, que ficou nacionalmente conhecido na novela "A força do querer", também apresenta uma bela atuação como um cangaceiro moderno, procurado pelas autoridades, mas celebrado como herói pelos locais. Do outro lado do embate, o alemão veterano Udo Kier (de filmes como "Melancolia" e "Ace Ventura: Um detetive diferente") cumpre muito bem o papel de esquisitão que você lembra mais ou menos de alguma produção estranha de Hollywood – apesar de não conseguir destacar exatamente qual. Quem rouba mesmo a cena são os rostos mais desconhecidos que povoam o vilarejo. Eles ajudam a construir aquela velha atmosfera familiar a filmes brasileiros do sertão, e aumentam ainda mais o contraste com os aspectos mais característicos de gênero quando os primeiros tiros são disparados. Sônia Braga em cena de 'Bacurau' Divulgação Morte à brasileira Com uma trama que vai do suspense ao ação, "Bacurau" se destaca ao empregar recursos do cinema nacional à narrativa. Ao contrário do que se esperaria de uma aventura hollywoodiana, as inevitáveis mortes servem mais como catarse, e não como espetáculo. Até mesmo quando uma cabeça explode em um dos momentos mais gráficos, em uma cena que remete muito a "Kill Bill: Volume 2" (2004), a visão é ofuscada pela naturalidade – vamos chamar assim – dos heróis. Em um país tão dividido quanto o atual, "Bacurau" usa do sentimento de "nós contra eles" para unir não apenas os personagens, mas o público. O truque também ajuda na imersão do espectador, que dificilmente vai conseguir se conter quando a população mostrar que não é tão indefesa quanto os vilões pensavam. Por mais que o roteiro não resista à tentação de ser um pouco mais explícito em alguns momentos, a sutileza é norma na maior parte das mais de duas horas do filme. Mendonça e Dornelles não estão preocupados em explicar as motivações dos forasteiros ou pregar uma mensagem. Tal abertura em intenções ou em moral é uma das maiores forças da produção. Ao invés de gritar para o público onde quer chegar, a dupla prefere que cada um tire dali suas próprias conclusões. O resultado é um filme tenso mas igualmente bem-humorado, que diverte ao mesmo tempo em que incomoda, com sequências que com certeza serão comentadas por muito tempo em uma época de memes e viralização. "Bacurau" é o resultado dos gêneros pop com um tempero à brasileira. Com sorte, será o primeiro de uma leva que mostra que a arte produzida por aqui pode ser também acessível – e extremamente divertida. Bárbara Colen, atriz de "Bacurau" Edison Vara/Agência Pressphoto
Categorias: Notícias

Dwayne Johnson lidera lista de atores mais bem pagos

G1 - Cinema - 21 Agosto, 2019 - 18:25

Ex-lutador, antes conhecido como The Rock, recebeu US$ 89,4 milhões entre junho de 2018 e junho de 2019, segundo a revista 'Forbes'. Chris Hemsworth e Robert Downey Jr. completam top 3. Dwayne Johnson em 'Arranha-céu: Coragem Sem Limite' Reprodução Dwayne Johnson, estrela das franquias "Jumanji" e "Velozes e Furiosos", encabeçou a lista anual de atores mais bem pagos do mundo, informou a revista "Forbes" nesta quarta-feira. Johnson, ex-lutador antes conhecido como The Rock, recebeu US$ 89,4 milhões entre junho de 2018 e junho de 2019, disse a publicação. Isso inclui seu salário e uma fatia dos lucros dos filmes, US$ 700 mil por episódio da série "Ballers", da HBO, e mais direitos autorais de sua linha de roupas, sapatos e fones de ouvido. Veja o top 10: Dwayne Johnson (US$89.4 milhões) Chris Hemsworth (US$ 76,4 milhões) Robert Downey Jr. (US$ 66 milhões) Akshay Kumar (US$ 65 milhões) Jackie Chan (US$ 58 milhões) Bradley Cooper (US$ 57 milhões) Adam Sandler (US$ 57 milhões) Chris Evans (US$ 43.5 milhões) Paul Rudd (US$ 41 milhões) Will Smith (US$ 35 milhões) Spin-off de "Velozes e Furiosos" estreia nos cinemas No ano passado, Johnson só ficou atrás de George Clooney, que lucrou com a venda de sua fabricante de tequila. Os dois seguintes da lista são dois astros de "Vingadores: Ultimato", o filme mais lucrativo da história. Chris Hemsworth, que interpretou Thor, recebeu US$ 76,4 milhões, e Robert Downey Jr., que encarnou o Homem de Ferro, US$ 66 milhões, disse a "Forbes". Semana Pop tem mulher mais bonita do mundo, Vingadores e cirurgia de Jojo Todynho Outros colegas de elenco, como Bradley Cooper, Chris Evans e Paul Rudd, também ficaram entre os 10 mais bem remunerados. Mas a maior parte dos ganhos de Cooper veio de "Nasce Uma Estrela", drama musical que dirigiu, produziu, coescreveu e estrelou ao lado de Lady Gaga – US$ 40 milhões dos 57 milhões de que recebeu vieram desse filme, segundo a revista. As cifras não contemplam as deduções de impostos nem as remunerações de agentes, empresários e advogados, detalhou a revista.
Categorias: Notícias

Demi Lovato vai atuar em 'Eurovision', seu primeiro filme em 10 anos

G1 - Cinema - 21 Agosto, 2019 - 10:54

Cantora vai estrelar comédia musical da Netflix com Will Ferrell. Roteiro é sobre concorrente islandês no famoso show de calouros. Demi Lovato Reprodução/Instagram Demi Lovato vai se juntar a Will Ferrell na comédia musical “Eurovision” para a Netflix. Esse será o primeiro filme da cantora em 10 anos. Sua última aparição nas telas foi em “Camp Rock 2: The Final Jam”, lançado em 2010. Em "Eurovision", Demi Lovato será Katiana, uma das melhores e mais angelicais cantoras de toda a Islândia. Demi vai se juntar a Ferrell e Rachel McAdams, que farão os aspirantes a músicos islandeses Lars e Sigrit Ericksdottir. Ferrell confirmou a notícia em um vídeo em que aproveitou para parabenizar Lovato, que completou 27 anos na terça-feira (20). Initial plugin text "Eurovision" conta a história de Lars e Sigrit. Os dois que têm uma oportunidade única de representar seu país e lutar por um sonho na maior competição musical do mundo. O longa se inspira em uma competição musical real, que recentemente atingiu sua 64ª edição em Israel e contu com a polêmica apresentação de Madonna.
Categorias: Notícias

'Brinquedo Assassino' volta aos cinemas apostando em Chucky robótico e menos assustador

G1 - Cinema - 21 Agosto, 2019 - 06:00

Veja diferenças entre remake do filme de terror, que chega aos cinemas nesta quinta-feira (22), e o original lançado em 1988. Mark Hamill é elogiado ao dar voz ao boneco. Sai o boneco aterrorizante surgido em 1988, entra um robô muito menos assustador. O Chucky do novo "Brinquedo Assassino", que estreia nos cinemas brasileiros nesta quinta-feira (22), é tecnológico e nada supernatural: No original, a alma de um assassino em série era transferida para o famoso brinquedinho Agora, ele é apenas um boneco com defeito que fere e mata por querer proteger seu dono Trailer de "Brinquedo assassino" Mark Hamill dá voz ao brinquedo e passou ileso pelas críticas. Após dublar o Coringa de "Batman: The Animated Series", o Luke Skywalker da franquia "Star Wars" é elogiado de novo. Para a revista "Rolling Stone", o ator "manda bem em cada segundo de humor e malícia" do personagem. Assista ao trailer de 'Brinquedo Assassino', de 1988 Levando em conta que este é o oitavo filme da franquia, era de se esperar essa tentativa de dar uma atualizada na história. Os produtores são os mesmos do retorno de "It - A Coisa". Mas abandonar a premissa absurda dos primeiros filmes acaba sendo uma manobra arriscada. "É um remake sem alma", resumiu o jornal "The New York Times". Chucky antes não tinha razão para cair matando: era um assassino na carcaça de um brinquedo. Agora, tudo parece mais previsível, certinho. "Brinquedo Assassino" virou uma metáfora sobre o perigo da inteligência artificial. E os críticos não gostaram desse terror atualizado. O jornal "The Guardian" definiu o filme como "entretenimento de muito mau gosto". A revista "Entertainment Weekly" apostou que o fã de terror que for ao cinema vai rir mais do que levar sustos. O elenco tem Aubrey Plaza ("Legion") e Gabriel Bateman ("Quando as Luzes se Apagam"). O diretor é Lars Klevberg ("Morte Instantânea") e o roteiro é de Tyler Burton Smith ("Kung Fury 2"). Cena do 'Brinquedo Assassino' de 1988 Divulgação
Categorias: Notícias

'Homem-Aranha' pode deixar de ser produzido pela Marvel, se não houver acordo com Sony

G1 - Cinema - 20 Agosto, 2019 - 20:29

Herói pode ficar de fora do Universo Cinematográfico da Marvel se impasse sobre a porcentagem na arrecadação dos futuros filmes não for resolvido, dizem sites. Entenda o caso. Tom Holland em cena de 'Homem-Aranha: Longe de casa' Divulgação "Homem-Aranha" pode deixar de ser produzido pela Marvel, se ela não chegar a um acordo com a Sony. A informação foi publicada nesta terça-feira (20) por vários sites americanos. Mas há divergências nas apurações: Segundo o Deadline, não houve acordo e o herói já está fora do Universo Cinematográfico Marvel; Já a revista "Variety" diz que ainda há negociação entre os estúdios: Marvel, parte do conglomerado da Disney, e Sony. Nenhum representante dos estúdios se manifestou sobre o assunto até a publicação desta reportagem. De acordo com os sites, a negociação já vinha acontecendo há alguns meses e está relacionada ao sucesso dos filmes de Kevin Feige, presidente da Marvel Studios. Qual é o impasse? No atual formato, a Disney recebe 5% do valor arrecadado no dia de estreia do filme e o valor de merchandising. O resto vai para a Sony; A Disney exigiu, no entanto, a revisão para que a divisão fosse de 50% entre os estúdios, com Feige no comando das futuras produções. É neste ponto que os estúdios estão discordando, segundo a "Variety". Se o acordo não for feito, Feige não produzirá novos filmes do Homem-Aranha dentro do Universo Marvel. O acordo entre Disney, Marvel e Sony para compartilhar os direitos dos filmes do herói aconteceu em 2015. Foi depois disso que Tom Holland virou o novo "Homem Aranha" e o personagem passou a fazer parte do time da Marvel. Nesta configuração, a Sony ficava responsável pela distribuição dos filmes em que o personagem era o principal, enquanto a Disney cuidava dos outros títulos. Por que Homem-Aranha vale tanto? Feige é responsável pelos maiores sucessos de bilheteria dos últimos anos e bateu dois recordes expressivos. Ter Homem-Aranha em suas mãos seria importante para continuar com bons resultados. "Vingadores: Ultimato" ultrapassou "Avatar" e se tornou a maior bilheteria de todos os tempos; "Homem-Aranha: Longe de casa" superou "James Bond Skyfall" e se tornou o maior sucesso de bilheteria da Sony, ao arrecadar mais de US$ 1,1 bilhão; O time de heróis da Marvel está se renovando e a perda de um herói tão popular pode ser arriscada para a fase quatro da saga; Fontes do Deadline dizem que Feige "ama" o super-herói e que continuaria com ele, se os estúdios se entendessem. Na Comic-Con San Diego deste ano, o painel de uma hora e meia da Marvel foi o grande destaque com o anúncio dos primeiros títulos da fase 4 do do Universo Marvel. Angelina Jolie como a "Viúva Negra", Natalia Portman como "Deusa do Trovão" e Mahershala Ali como o novo "Blade" são apostas do estúdio nos próximos dois anos.
Categorias: Notícias

'007: No time to die': Produtores anunciam nome do próximo filme de James Bond, o 25º do espião

G1 - Cinema - 20 Agosto, 2019 - 19:07

Anúncio do novo título foi feito nesta terça-feira. Filme estreia em abril. Elenco do novo filme de James Bond reunido na Jamaica Reprodução/Instagram "007: No time to die" ("007: Sem tempo para morrer", em tradução livre), será o título do próximo filme de James Bond, a 25ª parte da saga. O anúncio do novo título foi feito pelos produtores nesta terça-feira. A estreia será nos dias 3 de abril no Reino Unido e 8 do mesmo mês nos EUA. No fim de abril passado, o diretor do filme, o americano Cary Fukunaga, havia anunciado em um evento transmitido da Jamaica o elenco da nova aventura do lendário espião britânico e alguns detalhes da trama. Rami Malek, premiado este ano com o Oscar por sua interpretação do cantor Freddie Mercury em "Bohemian Rhapsody", interpretará o vilão do filme. Rami Malek concorre ao Globo de Ouro de melhor ator em filme de drama por 'Bohemian Rhapsody' Jordan Strauss/Invision/AP Ana de Armas, que em 2017 brilhou em "Blade Runner 2049" e no fim deste ano deve aparecer junto a Craig no thriller "Knives Out", será uma nova Bond girl. A filmagem começou há meses, mas sofreu vários contratempos, como uma explosão no estúdio britânico de Pinewood em junho e uma pequena cirurgia de Craig no tornozelo. A estreia do filme estava prevista para o fim de 2019, mas o projeto foi atrasado quando o veterano Danny Boyle - diretor de "Trainspotting - Sem limites" e "Quem quer ser um milionário?" - anunciou que sua saída por "diferenças criativas" com os produtores. Em setembro, os produtores anunciaram a contratação de Fukunaga, conhecido por ter escrito e dirigido a primeira temporada da série "True Detective", pela qual ganhou um Emmy em 2014.
Categorias: Notícias

'Matrix 4' é confirmado e terá Keanu Reeves e Carrie-Anne Moss, diz revista

G1 - Cinema - 20 Agosto, 2019 - 17:35

Lana Wachowski vai escrever, produzir e dirigir quarto filme da franquia. O ator Keanu Reeves, de 'Matrix', visita SP para discutir gravação de série Erik Teixeira/Raw Image/Estadão Conteúdo O filme "Matrix 4" foi confirmado nesta terça (20) com Keanu Reeves e Carrie-Anne Moss nos papéis de Neo e Trinity, segundo a Variety. Lana Wachowski, criadora da história com a irmã Lily Wachowski, está escalada para escrever, produzir e dirigir o filme. "Não poderíamos estar mais animados com a volta de 'Matrix' com Lana", disse Toby Emmerich, diretor do grupo Warner Bros. Pictures. "Lana é uma verdadeira visionária - uma diretora criativa e original - e estamos muito animados de dizer que ela está escrevendo, dirigindo e produzindo este novo capítulo do universo de 'Matrix'", afirmou Emmerich. A companhia vai produzir e distribuir o filme globalmente. Carrie-Anne Moss e Keanu Reeves estarão juntos novamente em 'Matrix 4'. Na foto, dupla atua no filme de 1999 da franquia Divulgação
Categorias: Notícias

'Bacurau' foi feito para que as pessoas voltem a conversar, diz Sônia Braga ao lançar filme em SP

G1 - Cinema - 20 Agosto, 2019 - 14:46

Atriz repete parceria de 'Aquarius' com Kleber Mendonça Filho e Juliano Dornelles. Ela participou de evento nesta terça-feira (20). Sônia Braga está no elenco de 'Bacurau', que chega aos cinemas no dia 29 de agosto Edison Vara/Agência Pressphoto Com "Bacurau", filme sobre um pequeno povoado em Pernambuco ameaçado por caçadores misteriosos, Sônia Braga espera abrir um canal de diálogo no Brasil. A produção, vencedora do prêmio do júri no Festival de Cannes 2019, estreia no dia 29 de agosto. "Quando chegamos com 'Aquarius' depois de Cannes [festival], o Brasil estava completamente dividido", conta a atriz, em evento com a imprensa em São Paulo nesta terça-feira (20). Assista ao trailer do filme Bacurau "Bacurau vem para abrir uma discussão. Para que a gente volte a conversar. Para que a gente encontre um caminho. Rápido. Porque se não encontrar o mundo acaba em dez anos." O filme é a segunda colaboração dela com os diretores Kleber Mendonça Filho e Juliano Dornelles, que atuou como diretor de arte de "Aquarius" (2016). Além da parceria com os cineastas, a atriz manteve uma relação próxima com os habitantes do povoado de Barras, no Rio Grande do Norte, onde o filme foi gravado. "Eu não queria só estar lá. Não queria fazer só um filme. Eu queria me entender também. Compreendi muito fazendo Domingas. E entender também, fazendo esse trabalho, esse Brasil." Cena de 'Bacurau' Divulgação Conflito e reflexões Para Mendonça, mesmo um filme que retrata um pequeno vilarejo cercado por forças invasoras desconhecidas não precisa necessariamente passar uma moral. "Nunca escrevi nada com a intenção de passar uma mensagem", conta o diretor. "Quando eu escrevo um filme eu não penso em passar uma mensagem. Meus filmes têm conflitos que se anulam." Como exemplo ele dá as armas da história, que servem para ameaçar, mas também para defender. "Por mim estariam todas no museu, como acontece no filme", diz o diretor. "Bacurau é cheio de reflexões sobre a vida do mundo, do Brasil, do nordeste. Da visão do Brasil no mundo e do nordeste no Brasil." Diretores e elenco de 'Bacarau' estiveram na coletiva de imprensa do filme nesta terça (20), em São Paulo Cesar Soto/G1
Categorias: Notícias

Bruna Marquezine celebra estreia como protagonista no cinema e cita 'desgaste físico' em gravações

G1 - Cinema - 20 Agosto, 2019 - 10:43

'Projeto foi transformador e por isso mesmo árduo', afirmou a atriz, que protagoniza o longa 'Vou nadar até você' de Klaus Mitteldorf. Bruna Marquezine protagoniza filme "Vou nadar até você" Reprodução/Instagram Bruna Marquezine, aos 24 anos de idade, já fez diversos trabalhos para a TV e algumas participações no cinema. Mas agora, a atriz faz sua estreia como protagonista de um longa. Estrela de “Vou nadar até você”, filme de Klaus Mitteldorf, Bruna compartilhou nas redes sociais um pouco sobre o projeto para os cinemas. “Eu sempre senti (e acho que sempre sentirei) uma necessidade artística de fazer cinema. Quando Ophelia me encontrou (acredito que muitas vezes as personagens escolhem a gente e não o contrário) eu decidi que era o momento certo”. “Tive a alegria de encontrar um diretor, uma equipe e grandes parceiros de cena que me deixaram livre pra descobrir e ser a minha Ophelia, sem limitações. E juntos criamos um universo único, delicado, mas potente, lúdico, mas consistente, palpável”. Initial plugin text A atriz ainda citou algumas dificuldades do novo desafio profissional. “Esse projeto foi transformador e por isso mesmo árduo. Me desafiou em tantos lugares: do meu próprio processo de atuação, muito intuitivo, ao desgaste físico que é rodar um filme nadando por horas, nos horários mais distintos”. “Ophelia mergulha, literalmente, sem querer numa jornada de autoconhecimento, e eu fiz o mesmo.” “Ela fez com que eu me percebesse mais forte, mas também me apresentou pontos de fragilidade internos e sentimentos que eu ainda não tinha acessado. E isso, para um ator, é um presente”. “Vou nadar até você” foi exibido no Festival de Gramado na noite desta segunda-feira (19) e na manhã desta terça-feira (19). “É um filme de sutilezas, de beleza estética única. É o resultado do trabalho de uma equipe com muita vontade de fazer arte. Agradeço imensamente a todos que caminharam e/ou nadaram do meu lado nessa aventura”, elogia a atriz.
Categorias: Notícias

Doze filmes entram em disputa para representar o Brasil no Oscar 2020

G1 - Cinema - 19 Agosto, 2019 - 16:55

Entre os pré-selecionados estão 'Bacurau', 'Simonal' e 'A vida invisível de Eurídice Gusmão'; veja a lista completa. Entrada da cerimônia do Oscar 2019 Matt Sayles/Invision/AP A Academia Brasileira de Cinema divulgou uma lista dos doze filmes que estão na disputa para representar o Brasil no Oscar 2020. O escolhido final para tentar uma indicação a melhor filme estrangeiro será divulgado no dia 27 de agosto. Cada país envia o nome de um filme para entrar no processo de escolha dos indicados para a categoria. A Academia de Hollywood vai divulgar os indicados no dia 13 de janeiro de 2020. O próximo Oscar vai acontecer no dia 19 de fevereiro, em Los Angeles. Os titulares da comissão brasileira deste ano para selecionar o representante do país são o crítico Amir Labaki, a diretora Anna Muylaert, o diretor e roteirista David Schurmann, a produtora e curadora Ilda Santiago, o roteirista Mikael de Albuquerque, a produtora Sara Silveira, a produtora Vânia Catani, o diretor de fotografia Walter Carvalho e o produtor e o diretor Zelito Viana. Veja a lista dos 12 filmes pré-selecionados: "Bacurau", de Kleber Mendonça Filho "Simonal", de Leonardo Domingues "Los silencios", de Beatriz Seigner "A vida invisível de Eurídice Gusmão", de Karim Aïnouz "Sócrates", de Alex Moratto "A última abolição", de Alice Gomes "A voz do silêncio", de André Ristum "Bio", de Carlos Gerbase "Legalidade", de Zeca Brito "Humberto Mauro", de André Di Mauro "Espero tua (re)volta", de Eliza Capai "Chorar de Rir", de Toniko Melo
Categorias: Notícias

'Bons Meninos' lidera bilheteria de fim de semana dos cinemas nos EUA e soma US$21 milhões

G1 - Cinema - 19 Agosto, 2019 - 08:33

Filme supera 'Velozes e furiosos' na bilheteria norte-americana e surpreende, tendo a melhor estreia para comédia do ano. "Bons Meninos" estreia nos EUA e lidera bilheteria Reprodução/Instagram Os Meninos do Saco de Feijão, apelido dado pelo trio de melhores amigos a eles mesmos no filme "Bons Meninos", do estúdio Universal, estão conquistando muito mais do que o sexto ano na escola. Eles também estão liderando a bilheteria nos EUA, tendo superado as expectativas e arrecadado US$21 milhões (R$ 84 milhões) no fim de semana de estreia. "Bons Meninos" ("Good Boys" no título original), exibido em 3.204 cinemas nos EUA, é uma vitória importante para uma comédia original, gênero que tem sofrido nas bilheterias ultimamente. O filme produzido por Seth Rogen e Evan Goldberg é a primeira comédia com classificação R (Restrita - quando menores de 17 anos precisam estar acompanhados de adulto) a ficar em primeiro lugar na estreia em três anos (desde "A Chefa", em 2016). O longa também foi a melhor estreia para comédias deste ano. A estreia do filme no resto do mundo teve uma bilheteria de US$2,1 milhões (R$ 8,4 milhões), levando o valor global a US$ 23,1 milhões (R$ 92,5 milhões). Com dobradinha no ranking, a Universal também levou o segundo lugar neste fim de semana, com "Velozes e Furiosos: Hobbs & Shaw". Antes líder, o filme levou US$14,1 milhões (R$ 56,4 milhões) de bilheteria em sua terceira semana, somando US$133 milhões (R$ 532 milhões) em arrecadação doméstica total com o filme até agora.
Categorias: Notícias

Richard Williams, animador de 'Roger Rabbit', morre aos 86 anos

G1 - Cinema - 17 Agosto, 2019 - 18:01
Canadense também trabalhou na franquia de 'Pantera Cor de Rosa' e venceu três Oscars. O animador Richard Williams, conhecido pelo trabalho em "Uma Cilada para Roger Rabbit" (1988), morreu nesta sexta (16), aos 86 anos. Segundo o comunicado da família, ele estava em casa em Bristol, no Reino Unido. O animador tinha um diagnóstico de câncer, mas segundo a filha Natasha Sutton Williams, ele "trabalhou até o último dia de sua vida". Williams nasceu em 19 de março de 1933 em Toronto, no Canadá, mas mudou para a Inglaterra nos anos 50. A vontade de desenhar é atribuída à Branca de Neve, que viu quando tinha cinco anos. "Eu sempre quis, quando criança, ir para a Disney. Eu era um garotinho esperto, então peguei meus desenhos e acabei entrando", afirmou à BBC em 2008. Além de animar e criar os personagens de "Roger Rabbit", Williams também participou da franquia "Pantera Cor de Rosa", nos anos 70, e do filme "Casino Royale". Ao longo da carreira ganhou três Oscars e três BAFTA Awards, maior prêmio do cinema inglês. Estrelado por Bob Hoskins, o live-action Roger Rabbit conquistou dois Oscars e um Bafta. Williams foi o responsável pela criação dos personagens Roger e Jessica Rabbit. O filme "The Little Island" (1958), estreia de Williams, rendeu um Bafta. O primeiro Oscar que ganhou foi em 1971 pela adaptação do livro "A Christmas Carol", de Charles Dickens.
Categorias: Notícias

Subscrever Joio agregador - Notícias