Ninfomaníaca - Volumes I & II

5 posts / 0 new
Último post
agraciotti
Foto de agraciotti
Ninfomaníaca - Volumes I & II

 

 

Se Ninfomaníaca tem um grande mérito, é que nunca duas partes de um filme resumiram tão bem a dupla personalidade de um cineasta. Sendo bem direto na análise:

 

- Volume I: Poético, sensível e bonito até nas cenas mais inusitadas. Além de surpreendetemente bem humorado e com umas das melhores cenas do ano (a q envolve a Uma Thurman).

Coerente com toda a filmografia do Von Trier, que a cada novo filme mostra que conhece como ninguém os dramas e a psique feminina. Sempre digo que ficam falando tanto da Sofia Copolla como a grande cineasta "feminina" dos nossos tempos, mas eu já acho o Von Trier muito mais. Sofia Copolla fala sobre meninas, equanto o Lars Von Trier fala sobre mulheres.

nota: 9

 

- Volume II:  Uma ZONA. Joga fora tudo de bom do anterior e arrisca um monte de ideias de gosto duvidosíssimo. Tem as mudanças de atores (para mostrar passagem de tempo) mas bizarra da história; humor pior q o Nebraska;  discurso de liçãozinha de moral e um final porra-louca e tiração de sarro.

Parece justamente o filme de um fanfarrão que tem uma tatuagem dessa na mão

 

E vai em festivais exibir seu filme com essa camisa

 

nota: 5

 

 

 

 

 

--------------------------------------

https://soundcloud.com/cellardoorbr

quase nada
Foto de quase nada

Ambos são ruins, um apenas complementa a ruindade do outro. Vi o 1° no cinema, mas o 2° só se me pagassem. Baixei, vi com o pau na mão e já deletei. Sempre fico com o pé atrás com esses filmes que tem mil versões, um saco, garanto que daqui a dois meses sai a versão cumshot (com vários tiros de pica cortados da versão do cinema). 

Um dos milhões de problemas é a fotografia pouco inspirada, os dois filmes são mais feios que o filho do Neymar. Os anteriores tb foram ruins, mas tanto o Melancholia quanto o Anticristo tinham cenas plasticamente bonitas (mas vamos esquecer a patética cena do lobo falante, pois hj eu não to muito legal).

Tirando Dogville e Dançando no Escuro, o Tries é uma persona non grata no meu HD.

Nota: 3
 

agraciotti
Foto de agraciotti

hahah

mas vc não pode esquecer q ele vem do Dogma 95 né, q se recusava a usar uma luz sequer. Ele sempre teve essa busca pela estética crua. Melancolia foi exceção pq o filme inteiro buscava uma outra atmosfera bem diferente dos filmes dele (e vou ignorar q vc falou mal. Acho o melhor dele e uma das grandes obras-primas dos últimos 10 anos). Anticristo só teve aquele começo videocliptico. O resto do filme tb era escuro e "feio". Duvido q vc veja alguma luz de recorte bonita e elaborada enquanto a mulher martela as bolas do marido. Então, nem acho  q a fotografia do Ninfomaníaca destoe assim da estética dele.

Eu realmente gosto do primeiro. Esse segundo é q me pareceu q ele chutou o balde e levou tudo prum lado de humor-sarcasmo-tiração de sarro duvidosíssimo.

 

 

--------------------------------------

https://soundcloud.com/cellardoorbr

quase nada
Foto de quase nada

Que nada, Anticristo tem uns dos melhores visuais dos últimos anos, nem se compara, tudo bem que ele dá uma plagiada no dos filmes do Apichatpong, mas mesmo assim dá um pau na Ninfomaniaca:

E o final em preto e branco? PQP, outro nível. Quem dera que o filme fosse assistível. 

XIII
Foto de XIII

Só se salvam duas coisas desse filme(o Vol. I porque o II é risível e bisonho) a Stacy Martin, a anoréxica mais gostosa que já vi e Führe Mitch. O resto faz um junta e manda por Sedex a Cobrar pro Terenzi!

Nota: 2.